No Ipiranga, estrangeiros encontram museu fechado

No caso dos cinco pesquisadores que escolheram o Museu Paulista da USP (mais conhecido como Museu do Ipiranga) para desenvolverem seus trabalhos, o não pagamento da bolsa da Universidade de São Paulo (USP) foi apenas um dos problemas. A instituição está de portas fechadas desde o início de agosto - precisou ser interditada por problemas estruturais e, atualmente, está em início de obras de restauro.

Paulo Saldaña e Edison Veiga, O Estado de S.Paulo

09 Setembro 2013 | 02h02

Por enquanto, apenas uma pesquisadora dos cinco escolhidos veio realizar o trabalho: Ana Claudia Fonseca Brefe. Uma operação especial precisou ser montada para que ela pudesse consultar os documentos necessários no acervo. "Ela nos solicitou o que necessitava e determinamos que um funcionário retirasse esse material do interior do museu. A pesquisadora pode manusear o conteúdo e fazer seu trabalho no Museu de Zoologia, que fica ao lado da nossa instituição", explicou a diretora do Museu do Ipiranga, Sheila Ornstein.

Quando os outros quatro pesquisadores chegarem, a ideia é que eles adotem um esquema semelhante de trabalho. "A princípio, eles não terão acesso ao interior do museu, por razões de segurança. Mas vão obter todas as informações que precisarem para suas pesquisas", explica a diretora.

Há também uma alternativa: Itu. "Se for compatível com suas pesquisas, também podemos oferecer as instalações e o acervo do Museu Republicano Convenção de Itu, na cidade de Itu", diz Sheila - o Museu Republicano é considerado um anexo do Museu Paulista da USP, sob a mesma administração.

Em agosto, o Museu Paulista passou por situação semelhante quando recebeu um grupo de pesquisadores estrangeiros em visita ao País - a vinda deles estava marcada antes de o museu ser fechado. "Apesar da interdição, eles conseguiram conhecer parte do acervo, pois deslocamos o material necessário para o Museu de Zoologia", diz Sheila.

Mais conteúdo sobre:
IpirangaMuseu do Ipiranga

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.