No interior paulista, a folia é à moda antiga

Cidades capricham na programação para atrair turistas que gostam de carnaval, mas também de curtir a natureza

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

19 Fevereiro 2011 | 00h00

O paulistano não precisa ir longe para reviver o carnaval de marchinhas, corsos e brincadeiras de rua de antigamente. Pelo menos seis cidades do interior capricharam na programação, unindo à folia a opção de passeios pela natureza. O circuito passa por estâncias hidrominerais e turísticas, em um eixo de 200 quilômetros da capital.

Em São Luís do Paraitinga, a 176 km, o carnaval de marchinhas está na 30.ª edição e traz neste ano um sentido de reconstrução: o centro histórico, destruído pelas enchentes de 2010, está quase recuperado. Poucos prédios, entre eles a Igreja Matriz e a capela das Mercês, continuam em obras, por isso a festa será no pátio da rodoviária. Seis bandas, 26 blocos e 15 mil visitantes são esperados. Quem gosta de natureza pode programar passeios por cachoeiras e trilhas, algumas no interior do Parque Estadual da Serra do Mar. Há ainda circuitos para arvorismo e cicloturismo.

Em Serra Negra, a 152 km da capital, haverá 60 apresentações nos cinco dias. Entre os destaques, a passagem da corte do rei, o baile retrô e o desfile de carros e caminhões antigos, relembrando os corsos dos anos 1930. Uma banda itinerante vai percorrer as ruas tocando marchinhas. Uma parada com trio elétrico encerra a folia. A expectativa é superar o número de turistas do ano passado - 55 mil pessoas.

Amparo, a 125 km, promete "o melhor carnaval das estâncias", com três escolas de samba, quatro bandas e sete blocos. No domingo de carnaval, acontece a "pororoca", encontro dos carnavalescos com os foliões. Na terça-feira, a atração será o bloco 100% Mulheres, acompanhado pela banda Ensacizados.

Embora mais distante, a 286 km de São Paulo, Caconde também promete animação. Seis bandas vão se revezar em três palcos. A cidade inspirou-se no Nordeste e instalou camarotes com open bar. Só entra quem tiver abadá. A estância turística oferece passeios por cachoeiras e mirantes. Os radicais podem praticar rafting no Rio Pardo.

Tranquilidade. Para quem busca um carnaval comportado, a opção é Águas de São Pedro, a 180 km da capital. O prefeito Paulo Ronan (PSDB) se orgulha de fazer uma festa para a família. "Todo mundo pode se divertir em harmonia, sem excessos." A cidade de menos de 3 mil habitantes espera receber 10 mil turistas. O destaque é para as matinês infantis com direito a banhos de espuma. A cidade tem três fontes de águas minerais famosas pelos poderes curativos: a da Juventude é a segunda do mundo em teor de sais de enxofre, bons para a pele; a Gioconda e a Almeida Salles, bicarbonadas, são para males da digestão.

Águas de Lindoia, a 163 km, famosa pelas águas termais, programou uma festa "família", com direito a blocos do tipo "vai quem quer". Um dos mais famosos é o Bloco dos Hotéis, que arrasta hóspedes. Quem quiser escapar da folia pode passear no Circuito das Montanhas ou no Morro Pelado, de 1,4 mil m de altitude, na divisa com Minas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.