No interior, Justiça barra 3 mil saídas

Mais de 3 mil detentos de Bauru, no centro-oeste paulista, não serão beneficiados neste ano com a saidinha do Dia das Mães, em maio. A decisão é da Justiça.

SANDRO VILLAR , ESPECIAL PARA O ESTADO , BAURU, O Estado de S.Paulo

11 Maio 2013 | 02h01

A principal justificativa é de que a data coincide com outra data: a do pagamento dos salários dos trabalhadores em geral. Isso quer dizer que haverá muito mais dinheiro em circulação. Por medida de segurança, para evitar roubos, desta vez os presos não sairão para visitar suas mães.

Outro motivo é que a saidinha também coincide com a proximidade da última concessão do benefício, que ocorreu no começo de abril. Os mais de 3 mil presos estão abrigados nos três presídios da cidade.

A saída é concedida aos condenados que cumprem pena em regime semiaberto e têm bom comportamento.

Mas o prazo da 'saidinha' não pode ser superior a sete dias nas seguintes ocasiões: Natal e ano-novo, Páscoa, Dia das Mães, Dia dos Pais, Dia da Criança e Finados.

Foragidos. A Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) informou no ano passado que 5% dos presos não retornaram da saída temporária do Dia das Mães - a média nessas ocasiões não chega a 10%. Ao todo, tiveram o direito 19.373 presos - 1.027 deles são considerados foragidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.