Clelia Lima
Clelia Lima

No interior de SP, chuvas matam duas pessoas em Itatiba

Em Sorocaba, a Avenida Dom Aguirre, a principal da cidade, ficou alagada;11 mil ficaram sem energia na região de Jundiaí

Bruno Ribeiro e José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

11 Março 2016 | 11h03

SOROCABA - As fortes chuvas que atingiram o Estado de São Paulo entre a noite de quinta-feira, 10, e a madrugada desta sexta-feira, 11, causaram transtornos no interior. Duas pessoas morreram em Itatiba. Em Várzea Paulista e Jundiaí, 11 mil domicílios ficaram sem energia, segundo a concessionária CPFL Piratininga. O temporal em Sorocaba causou o transbordamento do Rio Sorocaba e deixou sob as águas parte de um bairro e da principal avenida da cidade. Deslizamentos interditaram casas em Cabreúva e Alumínio.

Segundo informa a Defesa Civil de Itatiba, um idoso morreu eletrocutado ao tentar salvar a geladeira da inundação que atingiu sua casa, no centro de cidade. De acordo com a Guarda Municipal, que resgatou o corpo, o homem recebeu uma descarga elétrica e não resistiu. 

A segunda morte é um corpo encontrado em uma casa alagada no bairro Morro Azul. Segundo a Prefeitura, técnicos ainda investigam se a vítima não conseguiu sair de casa a tempo ou se foi arrastada pela enxurrada.

Na cidade, vários bairros continuavam alagados no início da tarde, muitos deles atingidos pela transbordamento do Ribeirão Jacaré. De acordo com a Defesa Civil, 38 pessoas estão desalojadas, entre elas 16 idosos de um abrigo atingido pelas águas.

Em Várzea Paulista, o rompimento de cabos elétricos pelas rajadas de vento, raios quedas de árvores e postes deixou 7 mil clientes sem eletricidade. Em Jundiaí, 4 mil clientes foram afetados, segundo a CPFL Piratininga. De manhã, a maior parte do sistema havia sido restabelecida, mas haviam interrupções pontuais de energia.

Já em Jundiaí, passageiros que tentaram embarcar em trens da Linha 7-Rubi, da Companhia Paulista de Trens Metropolitano (CPTM), amargaram horas de espera. Com trechos da linha alagada em Caieiras, os trens deixaram de circular ainda de madrugada entre a capital e Jundiaí.

De manhã, o tráfego foi restabelecido, mas os trens não davam conta da multidão em busca do embarque. No Jardim Novo Horizonte, várias casas ainda estavam alagadas.

Em Sorocaba, no centro da cidade, a Avenida Dom Aguirre amanheceu com mais de um quilômetro inundado, deixando o trânsito caótico. Em alguns pontos, a água subiu mais de um metro sobre a pista e carros ficaram quase submersos.

A via alagou também no Parque das Águas. Pelo menos dez casas no Jardim Abaeté foram tomadas pelas águas e os moradores usavam um barco para se locomover. Outras cidades da região foram afetadas.

Em Tatuí, a queda de uma ponte sobre o Ribeirão Manduca deixou parte da cidade isolada. Em São Roque, uma ponte rodou na área urbana. A Rodovia Raposo Tavares foi parcialmente interditada por alagamentos em Mairinque. Casas foram interditadas em Cabreúva e Alumínio por causa de deslizamentos, mas não houve vítimas.

Já em Campinas, o Rio Atibaia transbordou e alagou a Praça Beira-Rio, no distrito de Sousas.

Você no Estadão. Você enfrentou problemas com a chuva? Sua rua ficou alagada ou a água invadiu a sua casa? Sua cidade está com problema no transporte após o temporal? Mande para nós o seu relato. Para participar usando o celular, baixe o aplicativo Você no Estadão, faça cadastro, login e envie sua foto ou vídeo. Disponível no Google Play e na Apple Store. Se você estiver no desktop, entre na página do Você no Estadão, faça cadastro, login e envie sua foto ou vídeo. É rápido e fácil. Sua colaboração pode ir parar nas páginas do jornal, no portal do Estadão e nos aplicativos de notícias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.