No feriado, rodovias têm 1 morte a cada 2h30

Nas estaduais, foram 34 mortos em 1.215 casos; polícia culpa mau tempo e imprudência

BRUNO RIBEIRO, O Estado de S.Paulo

03 de maio de 2012 | 03h03

As estradas que cruzam o Estado de São Paulo - tanto federais quanto estaduais - tiveram uma morte a cada duas horas e meia durante o feriado do Dia do Trabalho. A Polícia Militar Rodoviária registrou 34 mortes entre as madrugadas de sexta e de terça-feira, enquanto a Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou três mortes no período.

Além das mortes, 644 pessoas se envolveram em acidentes e ficaram feridas. Ao todo, as rodovias estaduais registraram 1.215 acidentes durante o feriadão. Já as rodovias federais de São Paulo somaram 198 acidentes.

Os números não têm uma referência para comparação ideal, uma vez que o Dia do Trabalho nos dois últimos anos caiu durante o fim de semana - não foi prolongado. Mas, usando como base a comparação feita pela Polícia Militar Rodoviária, que cuida das rodovias administradas pelo governo de São Paulo, com a Semana Santa de 2011, as mortes caíram. A redução foi de 17% nas rodovias estaduais. Já nas três rodovias federais do Estado, houve aumento de um caso. Foram duas mortes na Semana Santa do ano passado.

Acidentes. De acordo com a PRF, duas das mortes nas estradas federais foram resultado de atropelamentos. A terceira pessoa que morreu caiu de uma motocicleta na região de Cachoeira Paulista, no interior do Estado.

Já no caso das estradas patrulhadas pela Polícia Militar Rodoviária, 38,2% das pessoas mortas foram vítimas de batidas frontais entre veículos - consequência, segundo nota da polícia, de ultrapassagens em pontos proibidos e imprudência dos motoristas. As 34 mortes paulistas ocorreram em 30 acidentes.

"Das 30 ocorrências de acidentes de trânsito fatais, dois terços ocorreram no período noturno, das 18h à 05h59, quando se faz necessário que os motoristas redobrem a cautela na condução dos veículos automotores. Destacamos também que, do total de ocorrências com mortes, dez delas registraram o envolvimento de veículos do tipo motocicleta", diz texto enviado pelo Setor de Assuntos Civis do Comando de Policiamento Rodoviário.

A polícia argumentou também que, em grande parte desse feriado, o tempo esteve fechado e chuvoso, o que faz os motoristas precisarem dirigir com mais atenção e menor velocidade média.

Minas. O Estado de Minas Gerais, que tem a maior malha rodoviária federal do País, registrou 43 mortes e 498 feridos. O maior problema foi nas rodovias federais, nas quais 22 pessoas morreram e 235 ficaram feridas em 393 acidentes. Já nas estradas estaduais foram registradas 21 mortes e 263 feridos em 309 ocorrências. A PRF em Minas e a Polícia Militar daquele Estado também atribuem a maioria dos acidentes à imprudência dos motoristas. / COLABOROU MARCELO PORTELA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.