No feriado, 1,7 milhão de carros passarão por estradas de SP

Maior parte dos veículos deve seguir para o litoral do Estado para aproveitar o fim de semana prolongado

03 de setembro de 2009 | 17h19

Quase 2 milhões de veículos deverão trafegar pelas rodovias de São Paulo durante o feriado prolongado de Dia da Independência. De acordo com a Secretaria Estadual dos Transportes, 1,7 milhão de carros devem trafegar pelas estradas do interior e litoral paulistas. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) estima que 1,2 milhão de veículos devam sair só da capital.

 

Veja também:

especialConfira o que abre e o que fecha

blogAcompanhe o trânsito pelo blog

linkOperação mobiliza mais de 9 mil agentes nas rodovias do País

 

O aumento maior deve ser maior nas estradas que levam ao litoral, segundo a secretaria. Apenas no sistema Anchieta-Imigrantes, o fluxo de veículos será 35% maior que no feriado anterior. Para melhorar o fluxo de carros para o feriadão de 7 de setembro, a CET e a Polícia Rodoviária Estadual vão montar a Operação Estrada.

 

Para a saída, a recomendação é para o motorista evitar utilizar as principais vias da cidade e as estradas entre 14h e 22h desta sexta-feira, 4, quando o trânsito e a quantidade de veículos nas ruas é maior. No retorno, o tráfego deverá ser mais intenso entre 15h e 22h de segunda-feira, 7, horário que também deverá ser evitado.

 

Litoral

 

A estimativa é que entre 190 e 330 mil veículos devam se deslocar para a Baixada Santista pelo sistema Anchienta-Imigrantes. De acordo com a Ecovias, que administra as rodovias, a partir das 15h desta sexta será implantado o esquema 7 por 3, para facilitar o fluxo sentido litoral. Essa operação se estende até as 20h de sábado. Na volta, entra em operação o esquema 8 por 2, que funcionará das 16h as 20h, no domingo, e depois das 10h de segunda até as 10h de terça-feira.

 

A estimativa é de que entre 270 e 350 mil veículos sigam em direção ao litoral norte, pelo corredor formado pelas rodovias Ayrton Senna e Carvalho Pinto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.