No Facebook, paulistanos mostram vistas da janelas

Da sua janela na Rua Barão de Limeira, em Campos Elísios, região central de São Paulo, o arquiteto Lucas Barros, de 34 anos, vê durante a noite "muitas luzes, janelas, o movimento dos carros e até a Avenida Paulista". A paisagem, que o encantou assim que chegou de Taubaté, no interior do Estado, é fotografada constantemente e o inspira a ver a cidade de outra maneira.

CECÍLIA CUSSIOLI, JULIANA DEODORO, O Estado de S.Paulo

21 de abril de 2013 | 02h02

Lucas é um dos mais de cem seguidores do Metrópole no Facebook que enviaram fotos da cidade que veem através de suas janelas. Desde fevereiro, dezenas de imagens foram publicadas e diversos microcosmos da cidade, revelados.

Outro colaborador é o fotógrafo profissional Alberto de Abreu Sodré, de 52 anos, que registra a vista da Vila Andrade, na zona sul, há dois anos. Sua intenção é fazer um livro com as imagens. Depois de morar 25 anos longe de São Paulo, capturar o céu e todas as mudanças meteorológicas que chegam à cidade foi seu jeito de se relacionar novamente com a capital. "Esse processo todo me ajudou a voltar para São Paulo, a voltar para casa."

Segundo o professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP) Lúcio Gomes Machado, fotografar é um exercício de apropriação da paisagem urbana. "E faz com que as pessoas descubram coisas interessantes pela cidade e se sintam motivadas a defendê-la."

Vídeo. A partir de hoje, além das fotos, o Metrópole no Facebook vai receber também vídeos, que mostrem a São Paulo que o leitor vê da janela. Além da paisagem, queremos saber qual a importância dela para você, o que mais lhe agrada e o que gostaria que mudasse nessa vista.  

Grave o vídeo e faça o upload no site www.youtube.com. Depois, envie o link das suas imagens para a página do Metrópole no Facebook. Seu vídeo poderá ser compartilhado e sua história, contada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.