No centro, Bola Preta arrasta mais de 2 milhões

A multidão lotou a Avenida Rio Branco com fantasias inusitadas na manhã de ontem, no segundo desfile do tradicional bloco neste ano

GLAUBER GONÇALVES / RIO, O Estado de S.Paulo

19 de fevereiro de 2012 | 03h02

Mais de 2 milhões de pessoas lotaram ontem a Avenida Rio Branco, no centro do Rio, para seguir o Cordão da Bola Preta. O tradicional bloco carioca foi um dos primeiros a desfilar no sábado de carnaval. Com fantasias inusitadas, os foliões começaram a se aglomerar antes das 9h, colorindo o centro financeiro da capital fluminense. Os organizadores afirmam ter reunido 2,5 milhões de pessoas - segundo a polícia, foram 2,3 milhões.

Embalados por marchinhas e outras canções clássicas de carnaval, cariocas e turistas seguiram o carro de som ao longo da avenida. O cabeleireiro Mauro Ricardo Nunes, de 45 anos, e quatro amigos chamavam a atenção com a fantasia de "vacas bailarinas". "A ideia surgiu no último carnaval e já virou uma tradição. Convenci meus amigos a vestir também", conta, acrescentando que foram eles mesmos que confeccionaram os adereços especialmente para o bloco, fundado em 1918.

Vestida de vaqueira, a bióloga Luciana Fonseca, de 41 anos, acompanhava o grupo com um laço na mão. "Vim para laçá-las", diverte-se. Já a estudante Carine Satravaka, de 19 anos, esperava pelos amigos em uma das esquinas da Rio Branco. "Estou há uma hora esperando meus amigos", diz a carioca, fantasiada de joaninha, relatando a dificuldade de encontrar a turma por causa da multidão concentrada na região. Sem perder a empolgação, ela diz que iniciou uma maratona pelos blocos do Rio em janeiro e que só deve terminar no fim do carnaval. "Aprendi a gostar de carnaval desde pequena."

Confusão. Com receio de serem presos por sujar a cidade, muitos foliões preferiram enfrentar filas para usar os banheiros químicos. Alguns, porém, se arriscaram na rua mesmo.

Na altura da Rua 7 de Setembro, a música parou por alguns minutos por causa de uma confusão entre um grupo de foliões. Depois que policiais entraram em ação para conter a briga, o bloco seguiu em frente.

Este é o segundo desfile do Bola Preta neste carnaval. Os organizadores chegaram a anunciar o cancelamento do primeiro, que acabou acontecendo na semana retrasada, atraindo entre 80 mil e 100 mil pessoas. O receio era de que, com a greve então decretada por policiais civis, militares e bombeiros, faltasse segurança para os foliões. A festa, no entanto, acabou acontecendo sem grandes transtornos.

Santa Teresa. Também na manhã de ontem, o bloco Céu na Terra invadiu as ruas estreitas de Santa Teresa, na região central da capital fluminense.

Alguns foliões aproveitaram a festa para lamentar a desativação do bondinho amarelo que se tornou símbolo do bairro. Além de atração turística, o bonde é usado como meio de transporte pelos moradores do bairro. O serviço foi interrompido em agosto do ano passado, depois que seis pessoas morreram em um tombamento. Em outro acidente, um turista morreu depois de despencar do veículo enquanto ele passava pelos Arcos da Lapa.

Santa Teresa também foi palco do desfile do bloco Carmelitas, famoso entre cariocas e turistas. Na programação deste ano, estão previstos desfiles até o próximo fim de semana, a maior parte nos bairros da zona sul do Rio e da região central da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.