No Ceará, os 110 se apresentaram no primeiro dia

Os 110 médicos brasileiros selecionados pelo Mais Médicos para o Ceará tomaram posse ontem e começam a trabalhar hoje em postos do Programa Saúde da Família (PSF) em 49 cidades. O Ceará ofereceu 944 vagas, mas na primeira chamada foram preenchidas apenas 10,9%.

Lauriberto Braga, Especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

03 de setembro de 2013 | 02h03

O presidente do Conselho Regional de Medicina (CRM) do Ceará, Ivan Moura Fé, acusa o programa Mais Médicos de "apenas oferecer uma bolsa para médicos, em vez de realizar concurso público". "É um programa precário, pois os profissionais não têm garantias trabalhistas nem vínculo empregatício. Isso certamente contribuiu para o baixo interesse da categoria."

No dia 26, os 96 participantes estrangeiros do programa no Estado foram hostilizados em Fortaleza por um grupo de médicos cearenses. Mas, ontem, os 26 brasileiros que vão trabalhar na capital foram acolhidos na Palhoça do Movimento de Saúde Mental Comunitária, no bairro Bom Jardim, com um café da manhã e um show.

Tudo o que sabemos sobre:
Mais MédicosCeará

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.