No boom da corrida, câmpus é uma das poucas alternativas

Cenário: Artur Rodrigues

O Estado de S.Paulo

15 de abril de 2013 | 02h00

As ruas de São Paulo nunca tiveram tantos atletas que levam seu hobby a sério - gente que gasta R$ 30 mil por um bicicleta ou viaja o mundo para correr. Segundo a Federação Paulista de Atletismo, foram 120 corridas de rua em 2011 e o ano passado esse número ficou em cerca de 130. Maratonas e meia maratonas viraram ainda um jeito de empresas fazerem propaganda na era da Cidade Limpa e hoje há corridas com nome até de rede de fast food. Na contramão dessa onda, os treinadores vêm sofrendo cada vez mais restrições no câmpus da USP, um dos preferidos dos corredores e ciclistas. Em uma cidade com poucos espaços propícios para o treinamento, os atletas temem ficar órfãos da Cidade Universitária.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.