Nível dos mananciais sobe de novo em SP

Todos os reservatórios registraram alta de ontem para hoje; Cantareira sobe pelo sexto dia seguido e opera com 17%

Adriana Ferraz, O Estado de S.Paulo

07 Novembro 2015 | 10h33

SÃO PAULO - Os principais mananciais de São Paulo registraram mais um dia de alta no volume armazenado. Segundo dados atualizados hoje, dia 7, pela Companhia de Saneamento do Estado de São Paulo (Sabesp), o Sistema Cantareira opera com 17%, 0,1 ponto porcentual a mais que ontem, quando o nível estava em 16,9%, e 1 ponto porcentual acima do nível registrado há uma semana. Esse cálculo já considera as duas cotas de volume morto em uso pela empresa para abastecer 5,2 milhões de pessoas no Estado.

Desde o início do mês, a pluviometria acumulada na região do Cantareira, principal reservatório do Estado, é de 69,5 mm - a média histórica para novembro é de 160,4 mm. Ontem, no entanto, só choveu 0,2 mm. Apesar de pouca, a quantidade de chuva foi suficiente para fazer o reservatório ver seu nível aumentar pelo sexto dia seguido.

Os níveis de armazenamento de água de outros mananciais importantes também subiram hoje. O Guarapiranga, responsável por abastecer atualmente o maior número de clientes da Sabesp do Estado, opera com 84,6% de sua capacidade. Ontem, estava em 84%.

Desde o início da crise hídrica, o Guarapiranga passou a 'ganhar' clientes até então abastecidos pelo Cantareira, que perdeu cerca de 3 milhões em quase dois anos. De acordo com o boletim diário da empresa, o manancial recebeu 1,4 mm de chuva de ontem para hoje - no acumulado do mês são 108,4 mm, marca já próxima da média histórica para novembro, que é de 123,8 mm.

Também pelo sexto dia seguido, o volume de água armazenada no Alto Tietê registrou alta, passando de 14,9% para 15% de capacidade. Esse porcentual já leva em consideração a cota de volume morto acrescentada ano passado ao sistema. Já o Rio Grande, que usa água da Represa Billings, cresceu 0,2 pontos porcentuais, alcançando 90,6% de sua capacidade, a maior entre os principais mananciais do Estado.

Alto Cotia e Rio Claro também registraram aumento de capacidade, chegando a 68,7% e 56,6%, respectivamente. Depois de muita chuva na região de Rio Claro, o sistema subiu 1,5% ponto porcentual de ontem para hoje e Alto Cotia, 0,5 ponto.

Mais conteúdo sobre:
Crise da Água

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.