Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Nível do Sistema Cantareira cai após sete dias de estabilidade

Principal manancial de São Paulo opera com 19,6% da capacidade; outros quatro reservatórios registraram queda do volume de água

Aline Bronzati, O Estado de S. Paulo

24 Maio 2015 | 11h09

SÃO PAULO - O nível do sistema Cantareira, responsável por abastecer 5,4 milhões de pessoas na capital e na Grande São Paulo, registrou queda neste domingo, 24, após permanecer estável por sete dias consecutivos. O reservatório, que já leva em conta as duas cotas do volume morto adicionadas no ano passado, opera com 19,6% do volume armazenado de água, ante índice de 19,7% registrado neste sábado, 23, segundo boletim da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

A maioria dos mananciais tiveram queda neste domingo. A exceção foi o Sistema Rio Claro, responsável por abastecer 1,5 milhão de pessoas, que registrou elevação de 0,1 ponto porcentual, de 56,8% para 56,9%.

O Guarapiranga, que atualmente é o sistema que abastece mais pessoas na Grande São Paulo (5,8 milhões), teve a maior retração. Passou de 81,8%para 81,5%, de acordo com a Sabesp. Já o Alto Tietê, que atende 4,5 milhões de consumidores, baixou de 23% para 22,9%.

O nível do Rio Grande, responsável por abastecer 1,4 milhão de clientes, está em 95,1%, abaixo do índice de sábado, de 95,3%. Por sua vez, o manancial Alto Cotia, o menor, que atende 410 mil pessoas, manteve seu volume armazenado de água estável em 68,2% neste domingo, segundo a Sabesp.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.