Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Nível do Cantareira sobe pela 1ª vez em 2015

Nos três primeiro dias de fevereiro, as chuvas sobre a região ficaram bem acima da média histórica: 66% a mais do que o esperado

Felipe Resk, O Estado de S. Paulo

03 Fevereiro 2015 | 09h06

SÃO PAULO - O nível do Sistema Cantareira, principal manancial de São Paulo, subiu pela primeira vez em 2015, segundo relatório da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), divulgado nesta terça-feira, 3. O reservatório opera com 5,1% da capacidade: 0,1 ponto porcentual a mais do que no dia anterior, quando estava com 5%. O Alto Tietê e o Rio Claro também tiveram aumento no volume armazenado de água.

Em termos de chuva, os primeiros dias de fevereiro têm sido mais generosos com o Cantareira. Nas últimas 24h, a pluviometria registrada foi de 12,2 milímetros. Já o acumulado do mês está em 35,4 milímetros, o que representa cerca de 66% a mais do que se a média histórica, de 7,11 mm por dia, estivesse se repetindo.

A última vez que o Cantareira havia registrado aumento no volume armazenado de água foi no dia 26 de dezembro, quando o nível dos seus reservatórios subiu 0,2 ponto porcentual, passando de 7,2% para 7,4%. O atual cálculo da Sabesp já considera duas cotas do volume morto - uma de 182,5 bilhões, adicionada em maio, e outra de 105 bilhões de litros de água, em outubro.

Em 2015, o manancial se manteve estável 11 vezes: nos dias 3, 4, 8, 11 e de 26 a 31 de janeiro e 2 de fevereiro. Comparado ao primeiro dia do ano, quando estava com 7,2% da capacidade, no entanto, o atual nível do Cantareira é 2,1 pontos porcentuais menor.

Outros mananciais. Dos demais reservatórios que abastecem a capital e a Grande São Paulo, o Alto Tietê e Rio Claro também tiveram aumento. O primeiro subiu 0,1 ponto porcentual e opera nesta terça com 11,1% da sua capacidade, ante 11% no dia anterior. Esse valor leva em conta 39,4 bilhões de litros do volume morto. A pluviometria do dia no Alto Tietê foi de 3,5 mm.

Já o Rio Claro chegou à sua quarta subida consecutiva e está com 29,5% da capacidade - antes o manancial estava com 29,2%. Sobre a região, o volume de chuva foi de 3,2 mm nas últimas 24 horas.

Apesar de ter chovido 13,8 mm, o Sistema Alto Cotia, o menor dos mananciais, se manteve estável pelo segundo dia, com 28% da capacidade. Além dele, o Guarapiranga também permaneceu com o mesmo índice dos dois dias anteriores: 47,9%.

Com apenas 0,6 mm de chuvas, o Sistema Rio Grande foi o único a registrar queda. O volume armazenado de água do reservatório caiu 0,2 ponto porcentual, passando de 75% para 74,8%.

Mais conteúdo sobre:
Crise da Água São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.