TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO
TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO

Nível do Cantareira fica estável; volume de outros sistemas cai

Cantareira, responsável por atender 5,2 milhões de pessoas, opera com 16,3% da capacidade; não chove sobre região há 9 dias

O Estado de S. Paulo

22 de setembro de 2015 | 10h12

SÃO PAULO - O nível de água armazenada no Cantareira, considerado o principal sistema hídrico de São Paulo, ficou estável nesta terça-feira, 22, em comparação com os registros de segunda-feira. Os demais mananciais de São Paulo registraram queda no volume de água, segundo dados divulgados pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). 

O Sistema Cantareira opera com 16,3% da capacidade, segundo índice tradicionalmente divulgado pela Sabesp, que considera duas cotas de volume morto adicionadas no ano passado. 

Há nove dias não chove sobre a região do Cantareira, que é responsável por atender 5,2 milhões de pessoas. Mesmo assim, o manancial já superou as expectativas de chuva para o mês de setembro: a pluviometria acumulada é de 108,9 milímetros, ante média histórica de 86,6 mm.

Segundo o índice negativo, o sistema caiu e está com - 13,0%, uma variação de 0,1 ponto porcentual em relação ao dia anterior. 

Outros mananciais. Com queda de 0,5 ponto porcentual, o Sistema Rio Claro foi o que apresentou maior diminuição no volume de água armazenada. O sistema opera nesta terça com 57,4% da capacidade. O Rio Grande teve redução de 0,3 ponto porcentual, passando de 86,8% para 86,5%. 

Já o Sistema Guarapiranga também registrou perda de água armazenada e opera nesta terça com 77,7% - 0,2 ponto porcentual a menos em relação à segunda-feira. No Alto Cotia, a variação foi de 0,2 ponto porcentual para baixo e o Alto Tietê opera com capacidade de 15,5%, o que representa queda de 0,1 ponto porcentual. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.