TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO
TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO

Nível do Cantareira cai pelo 26º dia seguido

Manancial opera com 15,8% da capacidade, segundo boletim da Sabesp; Guarapiranga permaneceu estável

Camila Santos, O Estado de S. Paulo

27 de agosto de 2015 | 09h40

SÃO PAULO - O Sistema Cantareira apresentou a 26º queda consecutiva e opera com 15,8% da capacidade nesta quinta-feira, 27. O boletim divulgado pela Companhia de Saneamento Básico do Estado São Paulo  (Sabesp) já considera as duas cotas de volume morto adicionadas no ano passado. Por outro lado, o Sistema Guarapiranga foi o único manancial que manteve o volume estável. 

Responsável por atender 5,2 milhões de pessoas, o Cantareira estava em 15,9% no dia anterior e também sofreu baixa em seu índice negativo. O indicador, que avalia o volume armazenado menos a reserva técnica pelo volume útil, passou de -13,4% para -13,5%. Também houve queda de 0,1 ponto porcentual no terceiro cálculo do sistema, que está em 12,2%. Esse último conceito considera a divisão do volume armazenado pelo volume total de água somado à reserva técnica. 

Nas últimas 24 horas, o conjunto de represas que compõem o sistema recebeu 0,1 milímetro de precipitação. A quatro dias do fim do mês, o reservatório acumulou 15,1 milímetros da pluviometria para agosto, em que a média histórica é de 34,4 milímetros. 

Outros mananciais. O nível do Sistema Guarapiranga permaneceu estável em 68,4%.  Atualmente responsável por atender o maior número de habitantes na Grande São Paulo (5,8 milhões), o manancial recebeu 4,4 milímetros de chuvas em agosto. A médica histórica para o período é de 39,9 milímetros.  

Já o Alto Tietê passou de 14,4% para 14,3%. Por sua vez, o Sistema Alto Cotia  teve redução de 0,1 ponto porcentual e opera com 53,8% da capacidade. Rio Grande e Rio Claro também caíram e estão com 82% e 60,3%, respectivamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.