Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Nível do Cantareira cai para 5,8% e bate novo recorde negativo

Volume das represas diminuiu dois pontos porcentuais entre domingo e segunda; bairros de São Paulo enfrentam falta de água

O Estado de S. Paulo

06 de outubro de 2014 | 17h13

Atualizada às 19h22

SÃO PAULO - O nível do Sistema Cantareira bateu novo recorde negativo nesta segunda-feira, 6. O volume das represas que abastecem a capital e a Região Metropolitana de São Paulo chegou a 5,8%, de acordo com dados divulgados pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). No domingo, o nível era de 6%. 

Há exatamente um ano, o volume do Cantareira era de 40,1%. Os reservatórios do Sistema Alto Tietê também apresentaram queda de 0,2 ponto porcentual entre domingo, 5, e segunda, 6, atingindo a marca de 11,7%.


Nesta segunda-feira, a Sabesp deveria entregar o plano de contingência do Sistema Cantareira para a Agência Nacional de Águas (ANA). Nele, esperava-se que o governo definisse limites de captação para cada cenário de chuvas. A ANA divulgou nesta segunda, entretanto, que ainda não recebeu a versão final do plano de contingência.

Falta de água. Reportagem publicada neste domingo pelo Estado mostra que regiões da capital paulista que antes sofriam com as enchentes enfrentam agora a falta de água. É o caso, por exemplo, do bairro Jardim Romano. 

Há cerca de um mês, eles fazem estoque em garrafas, panelas e baldes para conviver com a falta d’água noturna. Há cinco anos, a região, porém, ganhou destaque ao enfrentar um alagamento que durou mais de dois meses e atingiu 2 mil famílias. A Sabesp, porém, nega falhas no fornecimento de água.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Sistema Cantareira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.