Nível de água do Cantareira recua e chega a 24,8%

Volume do reservatório caiu 0,1 ponto porcentual em relação a sábado; chuva em maio foi de 44,8% da média histórica para o mês

O Estado de S. Paulo

01 de junho de 2014 | 15h29

SÃO PAULO - O nível de armazenamento no Sistema Cantareira, incluindo o chamado "volume morto" (obtido no fundo dos reservatórios), atingiu 24,8% de sua capacidade neste domingo, 1º. O volume armazenado das represas, que abastecem quase nove milhões de pessoas na Grande São Paulo, recuou 0,1 ponto percentual em relação ao sábado, 31.

Desde o início da utilização do "volume morto", no dia 16, o nível do Cantareira caiu 1,9 ponto percentual. Segundo a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), o reservatório com 400 milhões de metros cúbicos de água situado abaixo das comportas das represas do sistema acrescentou 18,5 pontos porcentuais ao volume útil.

Ainda de acordo com a medição da (Sabesp, no último mês só choveu o correspondente a 44,8% da média histórica de maio. Em 1º de junho do ano passado, o índice registrado pelo Cantareira era de 59,2%, sem o uso da água do fundo das represas.

A crise hídrica também afetou o nível dos reservatórios de outros sistemas que fornecem água para a região metropolitana. O índice do Sistema Alto Tietê, que abastece a zona leste da capital e outros municípios da Grande São Paulo, tem 30,8% de sua capacidade. Na mesma data em 2013, o nível era de 63,4%.

Já o Sistema Guarapiranga, responsável por levar água a moradores da zona sul paulistana, registra 74,1% de sua capacidade neste domingo. No ano passado, o reservatório tinha 84,6% na mesma época do ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.