Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Nevoeiro em SP volta a prejudicar operações em Congonhas

Ao menos cinco decolagens e quatro pousos foram cancelados; terminal chegou a ser fechado e opera com auxílio de instrumentos

Juliana Diógenes e Tulio Kruse, O Estado de S. Paulo

31 Julho 2015 | 08h36

SÃO PAULO - O nevoeiro que vem atingindo a capital paulista desde o início desta semana causou o cancelamento de pelo menos cinco decolagens e quatro pousos no Aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital paulista, nas primeiras horas desta sexta-feira, 31. Por volta das 6 horas, o aeroporto fechou para pousos em função da forte névoa. Reabriu uma hora depois, e a operação passou a ser feita com auxílio de instrumentos. 

Dos 26 voos de chegada previstos para Congonhas, houve quatro cancelamentos, oito atrasos meteorológicos - nove estavam com previsão de ocorrer normalmente. Das 26 partidas, cinco foram suspensas e cinco, atrasadas. 

O Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, informou que a neblina não afetou as atividades e que opera por instrumentos. Entre meia-noite e 6 horas desta sexta-feira, foram 34 partidas, um voo cancelado e um atraso.

No Rio de Janeiro, o Aeroporto de Santos Dumont, na região central, amanheceu aberto nesta sexta-feira, mas fechou para pousos por causa da baixa visibilidade e só reabriu às 8h20. Até as 8 horas, das 26 partidas, nove haviam sido suspensas, oito estavam atrasadas e sete eram previstas. Entre as decolagens, houve cancelamento de 13 voos e quatro estão com atraso. Das 13 partidas canceladas no Santos Dumont, nove voos tinham São Paulo como destino.

Segundo informações da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), em função das condições meteorológicas, foram fechados os Aeroportos Afonso Pena, em Curitiba, no Paraná; de Navegantes, em Santa Catarina; Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul; e de Tefé, no interior do Amazonas.

Ainda de acordo com a Infraero, 23 voos domésticos foram cancelados e oito estão atrasados em todo o Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.