Netinho diz que polícia mata jovens pobres

O secretário municipal da Promoção da Igualdade Racial, Netinho de Paula, afirmou ontem que a Polícia Militar é vetor de violência na periferia da cidade que sempre matou a população negra e pobre. A declaração foi dada em evento que contou com a participação de movimentos sociais e culturais e também do secretário municipal de Direitos Humanos, Rogério Sottilli, no Parque Santo Dias, no Capão Redondo, na zona sul de São Paulo.

O Estado de S.Paulo

25 Janeiro 2013 | 02h07

"Sempre foi a PM quem matou de forma desigual, aqui na zona sul, os jovens negros, os pobres da periferia. Falo isso com muita tranquilidade porque um próprio comandante da PM (em Campinas) diz que pardos e pretos devem ser abordados (mais informações abaixo). Esse é o resultado do pensamento da PM, sempre foi, não muda nada. Foi assim que perdi meu irmão e muitos amigos."

Netinho disse que a PM precisa se humanizar. Já Sottilli sugeriu que o programa federal Juventude Viva, que cria ações sociais e culturais para jovens negros, seja criado na região.

As lideranças comunitárias pediram também que seja dada assistência às famílias vítimas de violência. Apenas na primeira chacina do ano, com sete mortos em Campo Limpo, 15 crianças ficaram órfãs.

O comandante-geral da PM, Benedito Meira, afirma que lamenta a declaração de Netinho. "Não posso afirmar que a PM tenha esse perfil, postura e conduta de trabalho. O que posso adiantar é que temos que analisar cada caso. Se houver a participação de policiais seja em chacina, homicídios ou que crime for, vamos apurar e prendê-los. Agora, não posso aceitar que PMs sejam vocacionados a matar pessoas da periferia." / W.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.