Nesta madrugada, Rodoviária do Tietê está abarrotada de passageiros

Desde à 0h30, terminal sofre com guichês lotados, cartazes de passagens esgotadas, pessoas sentadas no chão passageiros amontoados nas plataformas e Ônibus com mais de uma hora e meia de atraso

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

21 de abril de 2011 | 01h53

SÃO PAULO - Quem deixou para comprar passagem para o litoral, interior e para outros estados neste final de noite de quarta-feira, 20, no Terminal Rodoviário do Tietê não fez um bom negócio.

 

À 0h30 desta quinta-feira, 21, a quantidade de pessoas dentro do terminal era imensa. Guichês lotados, alguns com cartaz de passagens esgotadas, pessoas sentadas no chão, passageiros se amontoando nas plataformas de embarque, ônibus com mais de uma hora e meia de atraso etc. "Isso aqui está um caos", afirmou Fábio Brito, um dos usuários que passavam pelo terminal após a zero hora desta quinta-feira, 21.

 

"Comprei minha passagem, ontem, aqui, pessoalmente. Vou viajar para Barretos (SP) pela Danúbio Azul. A saída estava marcada para a meia-noite e meia, mas o ônibus das onze horas acabou de sair", relatou o microempresário Milton Santos da Silva, de 47 anos, que à 0h35 desta quinta-feira ainda estava com um filho de 3 anos no colo e a esposa, aguardando a chegada do próximo ônibus.

 

Um dos guichês da Danúbio Azul era um dos que já estavam com aviso de passagens esgotadas.

"No guichê da Danúbio, por exemplo, a fila é de pelo menos duas horas de espera, com uma pessoa apenas atendendo no guichê. Acho que eles não se prepararam. Tá caótico aqui. Muita gente, muito abafado e não se acha ninguém para auxiliar ou dar informação", disse o bancário Rogério Custódio de Mello, de 29 anos, que havia comprado passagem para a cidade de Guaíra (SP) com saída marcada para a 0h30. "O ônibus das 23 horas acabou de encostar na plataforma", acrescentou o bancário. (já era 1h10 naquele momento).

 

Um ônibus da Viação Cometa, por exemplo, com destino a Belo Horizonte (MG), deveria ter saído às 23h55, mas era 0h45 e ele ainda estava na plataforma. Na pista em frente as plataformas, também havia muitos passageiros, que, cansados de esperar, iam até a pista para tentar visualizar se algum ônibus se aproximava.

 

Segundo a assessoria de imprensa da Socicam - empresa que administra os terminais rodoviários da cidade - que não quis usar o termo 'caos' para definir a situação de momento no terminal, esse movimento já era esperado em razão do feriado. A última informação que a assessoria de imprensa da Socicam tinha era de que havia passagens por todas as empresas de ônibus, mas não para todos os horários.

 

A previsão é de que passe de 193 mil o número de passageiros que deixarão a capital paulista até a meia-noite de quinta-feira, 21, pelos terminais Jabaquara (zona sul), Barra Funda (zona oeste) e Tietê (zona norte).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.