Nenê de Vila Matilde retorna à elite

Depois de seis horas de tumultos e brigas, a única festa no Anhembi teve o azul e branco da Nenê de Vila Matilde, campeã do Grupo de Acesso. Uma das mais antigas escolas de samba da capital, fundada em 1949 na zona leste, levou às arquibancadas do sambódromo cerca de 800 integrantes. Ela apresentou o desfile mais bonito do Grupo de Acesso do carnaval de São Paulo, com um enredo sobre Chica da Silva. Na apuração, teve 179,3 pontos (em 180 pontos possíveis).

O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2012 | 03h04

O presidente, Rinaldo José de Andrade, de 45 anos, afirmou que a vitória "foi do samba" e lamentou os incidentes no grupo principal. "Infelizmente, muita gente que não deveria estar aqui na hora da apuração acaba conseguindo credenciamento. Isso é algo que a Liga tem de mudar", declarou.

Outra que também retorna à elite é a Acadêmicos do Tatuapé (179,2). A escola cantou no sambódromo a vida de Leci Brandão, primeira mulher a ingressar na Ala de Compositores da Estação Primeira de Mangueira, no Rio. No lançamento de seu primeiro CD, estavam presentes Cartola, Dona Zica, Nelson Cavaquinho e Paulinho da Viola.

Tristeza. Duas ex-integrantes do Grupo Especial lamentaram o resultado. A também multicampeã Unidos do Peruche contou na passarela as profecias sobre o fim do mundo, com o enredo Vamos Fugir do Juízo Final - Ainda Há Tempo, mas não encantou o júri. A escola até investiu na produção de carros alegóricos. Um deles reproduzia o ataque às Torres Gêmeas.

Outra agremiação desapontada com o resultado foi a Leandro de Itaquera, última escola a pisar no sambódromo. O samba, sobre o meio ambiente, foi o mais bonito visto no Grupo de Acesso. A última colocada, a Unidos de São Lucas, caiu para o grupo de blocos. /DIEGO ZANCHETTA e CRISTIANE BOMFIM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.