Nem é escoltado por 20 carros em ida a Fórum

O traficante Antonio Bonfim Lopes, o Nem, deixou Bangu 1 na manhã de ontem para ser citado em um processo por tráfico de drogas na 38.ª Vara Criminal, no centro do Rio. O criminoso, apontado como chefe do tráfico na Rocinha e preso em uma megaoperação policial há uma semana, deixou o complexo penitenciário em um comboio com mais de 20 carros.

CLARISSA THOMÉ / RIO, O Estado de S.Paulo

17 Novembro 2011 | 03h04

Em nota, a Assessoria de Imprensa do Tribunal de Justiça esclareceu que Nem precisou comparecer ao tribunal porque quando o processo foi instaurado, em 2007, ele estava foragido e não havia sido citado. Ele e outras 39 pessoas são acusadas dos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Nem responde a pelo menos outros sete processos, segundo consta no sistema de buscas do Tribunal de Justiça do Estado do Rio, e ainda pode ser chamado outras vezes para tomar conhecimento das ações. Quatro processos estavam suspensos porque o traficante não havia sido citado - ele nunca havia sido preso, apesar das diversas acusações. Ele já está condenado a 8 anos e 4 meses, pela 33.ª Câmara Criminal, por associação para o tráfico. Os advogados de Nem recorreram da sentença.

Ligações. O Disque-Denúncia contabilizou 804 telefonemas referentes às favelas da Rocinha, Vidigal e Chácara do Céu, entre os dias 1.º e 16 de novembro - 30 vezes mais do que as ligações recebidas no mesmo período do ano passado. Os moradores das três comunidades têm informado locais que poderiam ser depósitos de armas e drogas. Nos últimos dois dias, o serviço tem recebido quatro ligações por hora com denúncias sobre as favelas ocupadas no fim de semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.