Nem é escoltado por 20 carros em ida a Fórum

O traficante Antonio Bonfim Lopes, o Nem, deixou Bangu 1 na manhã de ontem para ser citado em um processo por tráfico de drogas na 38.ª Vara Criminal, no centro do Rio. O criminoso, apontado como chefe do tráfico na Rocinha e preso em uma megaoperação policial há uma semana, deixou o complexo penitenciário em um comboio com mais de 20 carros.

CLARISSA THOMÉ / RIO, O Estado de S.Paulo

17 de novembro de 2011 | 03h04

Em nota, a Assessoria de Imprensa do Tribunal de Justiça esclareceu que Nem precisou comparecer ao tribunal porque quando o processo foi instaurado, em 2007, ele estava foragido e não havia sido citado. Ele e outras 39 pessoas são acusadas dos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Nem responde a pelo menos outros sete processos, segundo consta no sistema de buscas do Tribunal de Justiça do Estado do Rio, e ainda pode ser chamado outras vezes para tomar conhecimento das ações. Quatro processos estavam suspensos porque o traficante não havia sido citado - ele nunca havia sido preso, apesar das diversas acusações. Ele já está condenado a 8 anos e 4 meses, pela 33.ª Câmara Criminal, por associação para o tráfico. Os advogados de Nem recorreram da sentença.

Ligações. O Disque-Denúncia contabilizou 804 telefonemas referentes às favelas da Rocinha, Vidigal e Chácara do Céu, entre os dias 1.º e 16 de novembro - 30 vezes mais do que as ligações recebidas no mesmo período do ano passado. Os moradores das três comunidades têm informado locais que poderiam ser depósitos de armas e drogas. Nos últimos dois dias, o serviço tem recebido quatro ligações por hora com denúncias sobre as favelas ocupadas no fim de semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.