Neblina faz aeroportos de São Paulo operarem por instrumentos

Construção do grooving atrasa abertura da pista principal do Aeroporto de Congonhas nesta sexta-feira

Paulo R. Zulino, do estadao.com.br,

17 de agosto de 2007 | 07h45

Os aeroportos de São Paulo operavam por instrumentos na manhã desta sexta-feira, 17, por conta do mau tempo na cidade. No Aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital paulista, a pista principal não abriu para pousos e decolagens por conta das obras de instalação do grooving - ranhuras que auxiliam o escoamento de água. A pista auxiliar de Congonhas, entretanto, funcionava com a ajuda de instrumentos para pousos e decolagens. De acordo com a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), o atraso na abertura da pista principal deverá acontecer até o dia 8 de setembro; este é o quarto dia seguido que a pista abre com atraso. Segundo balanço da Infraero, até às 7 horas, dos 19 vôos previstos, dois tiveram atrasos superiores a uma hora e um foi cancelado no aeroporto. No Aeroporto Internacional de São Paulo (Cumbica), em Guarulhos, pousos e decolagens eram feitos com a ajuda de instrumentos. Apesar do mau tempo, o movimento era normal e o terminal não precisou ser fechado. Da meia-noite às 7 horas, dos 30 vôos programados, três tiveram atrasos superiores a uma hora e um vôo foi cancelado.

Tudo o que sabemos sobre:
crise aéreaneblinaaeroportos de SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.