Nayara não falará com a polícia no hospital, diz secretário

Menina, que foi atingida por um tiro na face, passa bem e deve deixar o hospital em até dez dias

Da Redação,

18 de outubro de 2008 | 17h55

O quadro de saúde da menina Nayara Rodrigues da Silva, de 15 anos, baleada na boca, é estável e ela está bem clinicamente, segundo o médico Gabriel Pastore. De acordo com ele, a menina já consegue conversar com a equipe médica, mas apenas sobre amenidades. Em entrevista coletiva sobre o estado de Nayara e da amiga Eloá Cristina Rodrigues, o secretário de Saúde de Santo André, Homero Duarte, ressaltou que não será permitido nenhum tipo de interrogatório por parte da Polícia Militar enquanto a menina estiver no hospital. "Essa é a orientação médica, e ela tem que ser seguida independente de qualquer outra. E o período que ela passará no hospital será curto, não vai atrasar nenhum tipo de investigação", afirmou. A bala entrou no rosto de Nayara pelo lado direito, próximo ao nariz, e percorreu o espaço acima dos dentes da garota, parando no canino esquerdo. O tiro comprometeu a base do nariz, e o osso foi reparado. De acordo com os médicos, Nayara não deve precisar de uma cirurgia plástica e vai ficar no hospital de sete a dez dias, para ser acompanha e evitar infecções. Nayara passou por uma tomografia computadorizada nesta parte para verificar se a reconstrução da base do nariz foi adeqüada. "Os fragmentos estão bem posicionados, não há mais restos balísticos", disse Pastore. A menina não está sedada e tem sido acompanhada sempre por algum familiar.

Tudo o que sabemos sobre:
Seqüestro em Santo André

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.