Natingui: atropelamento foi a 57 km/h

Promotora diz que velocidade de jipe não é número absoluto, mas admite ser prematuro oferecer denúncia; defesa paga outro laudo

WILLIAM CARDOSO, O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2011 | 03h02

Laudo do Instituto de Criminalística apontou que a nutricionista Gabriella Guerrero, de 28 anos, dirigia a 57,6 km/h no momento em que perdeu o controle da Land Rover, atropelou e matou o administrador de empresas Vitor Gurman, de 23, no dia 23 de julho, na Vila Madalena, zona oeste da capital. O limite da Rua Natingui é de 30 km/h. A motorista responde ao processo em liberdade.

Segundo a promotora Mildred de Assis Gonzales, do 5.º Tribunal do Júri, a velocidade apontada pelo laudo não é um número absoluto, já que a referência são imagens de uma câmera próxima ao local. Segundo Mildred, a certeza é que a Land Rover trafegava acima de 50 km/h.

Mildred diz também que seria prematuro oferecer a denúncia contra a nutricionista desde já. "Existem outros passos a serem tomados. Não temos pressa. Ela está indiciada por homicídio doloso, mas vou trabalhar com várias hipóteses."

O advogado da nutricionista, José Luís de Oliveira Lima, ressalta que, desde o início, a velocidade da Land Rover no momento do acidente foi superestimada. "É importante registrar quantas informações levianas foram feitas no tocante à velocidade desenvolvida por Gabriella. Contratamos um laudo particular que, no momento oportuno, será apresentado."

Lima diz também que não há uma especificação de velocidade máxima permitida no exato local em que a nutricionista perdeu o controle do carro. "A placa de 30 km/h estava depois do local do acidente."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.