JF Diorio/AE
JF Diorio/AE

Natal na Paulista: luzes - e caos no trânsito

Cruzar os 3 km da avenida decorada que atrai multidões pode levar 30 minutos

Márcio Pinho, O Estado de S.Paulo

15 Dezembro 2010 | 00h00

A Avenida Paulista se tornou uma das apostas do turismo em São Paulo para o fim de ano. O destino é vendido em outros Estados e recebe agora atrações inéditas. Mais de 145 mil pessoas já visitaram a principal novidade, o palco com Papai Noel. Tudo perfeito, não fosse o presente de grego natalino que está sendo dado aos visitantes e aos moradores da região, o trânsito caótico.

Na última semana, a via registrou 22% mais congestionamentos do que nas primeiras semanas de novembro, de acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Moradores relatam que, nos fins de semana à noite, levam 30 minutos para cruzar os menos de 3 km da avenida.

O pior trecho para o motorista - e o melhor para o visitante que quer curtir a Paulista - é o que fica entre a Rua da Consolação e a Pamplona. É onde se concentram pelo menos 13 atrações, como as Árvores de Natal do Bradesco e do Shopping Center 3.

À noite, com a via iluminada, os corredores do Parque Trianon ficam pequenos para os visitantes munidos de máquinas fotográficas. Casais buscam os bancos para observar os efeitos de luz na vegetação.

Para a dona de casa Luiza Santos, de 36 anos, a decoração deste ano faz o visitante "viajar no tempo, lembrar de coisas boas". "Fiquei feliz de ver os animais por toda a Paulista e a iluminação do parque. Neste ano, a via se tornou uma grande praça do Natal", afirma.

Segundo o presidente da São Paulo Turismo (SPTuris), Caio Luiz de Carvalho, cerca de R$ 6 milhões foram investidos no projeto Natal Iluminado. Ele calcula que cerca de 900 mil pessoas deverão visitar a cidade neste mês. "A Paulista vem se tornando uma referência do Natal em São Paulo." Segundo ele, cultura, lazer e compras são vendidos como os atrativos da capital.

Chileno, o turista Luiz Gevallos, de 43 anos, aprovou a "turbinada" na Paulista. Para ele, a decoração era "muito bonita" e um dos pontos de destaque de sua visita à cidade.

Caos. Os problemas também existem durante o dia. Os motoristas diminuem a velocidade para observar a decoração, em especial o Papai Noel gigante que acena para o público, instalado no palco do réveillon (veja mapa abaixo). Há ainda pontos de apresentação de corais e bandas.

"Tem motorista que parece que quer acenar de volta para o Noel", afirma o analista de sistemas Oswaldo Costa, de 55 anos, que desistiu de ir à Paulista de carro nesta época do ano. O advogado Cristiano Maciel, de 30 anos, diz agora levar 40 minutos, em vez dos 20 tradicionais, para chegar à Paulista, desde a Vila Madalena. "Quando chega aqui perto trava tudo", diz. Entre os taxistas, a percepção é que não se pode trafegar após as 15h.

A CET aumentou a fiscalização e proibiu o estacionamento nas ruas laterais aos domingos para tentar minimizar os congestionamentos. Bloqueios estão sendo realizados em momentos pontuais, quando o trânsito na Paulista afeta outros corredores, como o da Vergueiro.

A recomendação é para que as pessoas evitem ir ao local de carro e usem transporte público. As várias estações de metrô podem ser uma boa opção. Mas nem todos seguem a dica. Segundo funcionários de estacionamentos, a procura por vagas aumentou nos últimos dias.

Alguns moradores da Paulista e do entorno torcem para o Natal passar. "Aumentou muitíssimo o nosso estresse. Se preciso ir à padaria, tenho de enfrentar um mar de gente na calçada e andar no meio dos carros para não atrapalhar as famílias que estão tirando fotos", diz o bancário Antero Galo, de 46 anos, que mora na avenida. / COLABOROU GILBERTO AMENDOLA

PRESTE ATENÇÃO

1. Dê preferência ao transporte público. A Linha 2-Verde tem três estações na avenida e há grande oferta de ônibus. Se não puder abrir mão do carro, evite em especial o trecho entre as Ruas Pamplona e Consolação

2. O período de mais movimento se concentra entre a sexta-feira e o domingo

3. Use caminhos alternativos à Paulista, como a Alameda Santos ou a Rua São Carlos do Pinhal

4. Evite ainda trafegar por vias que dão acesso à Paulista, como a Vergueiro ou a Avenida Dr. Arnaldo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.