'Não vamos voltar atrás', diz Moraes sobre restrição a fretados

Secretário dos Transportes de São Paulo participa nesta segunda-feira do programa 'Roda Viva' da TV Cultura

Ítalo Reis, estadao.com.br

03 de agosto de 2009 | 18h46

O secretário dos Transportes de São Paulo, Alexandre de Moraes, disse nesta segunda-feira, 3, que a Prefeitura não vai voltar atrás na portaria que restringe a circulação de ônibus fretados na cidade. "Não vamos voltar atrás porque é uma medida boa para a cidade", disse durante participação no programa Roda Viva. O programa vai ao ar às 22h10 (horário de Brasília) na TV Cultura. Participam do programa a editora de Cidades do estadao.com.br, Mônica Aquino, através do Twitter, e a editora do caderno Metrópole do jornal O Estado de S.Paulo, Viviane Kulczynski, uma das entrevistadoras.

 

Veja também:

linkAcompanhe a entrevista pelo Twitter

linkSindicato entra com outro recurso contra restrições a fretados

linkClassificação de vans como fretado gera protestos em SP

especialDiagnóstico do trânsito de São Paulo

 

O secretário informou que a fluidez do trânsito melhorou com a Zona Máxima de Restrição à Circulação de Fretados (ZMRF), apesar de ainda ser cedo para fazer análise do projeto como um todo. "O que a prefeitura está fazendo é garantir uma regulamentação para um setor que estava bagunçado. Respeitamos essas pessoas, mas elas não podiam continuar atrapalhando a população que usa o transporte público", afirmou Moraes.  

 

Moraes disse que a Secretaria de Transportes está analisando propostas feitas pelos sindicatos do setor, apresentadas na reunião desta segunda-feira, como a liberação de algumas vias. Porém, ele avisou que a Avenida Paulista não será liberada para a circulação, como foi feito com a Engenheiro Luís Carlos Berrini.

 

O secretario afirmou que apenas investimento pode mudar a situação do transporte em São Paulo. Questionado sobre quando a população vai começar a sentir essas mudanças, Moraes disse que já a partir do ano que vem. "A população deve sentir uma diferença já em 2010, com a inauguração da nova linha do metrô e com o Rodoanel. O transportes público é muito importante para ser tratado de um dia para outro", argumenta.

 

Atualizada às 19h17 para acréscimo de informações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.