'Não vale a pena morrer por uma casa'

Maria Cristina Malter Bender comemorava seu aniversário em casa, em uma festa com o marido, Vinícius, e pelo menos oito filhos, quando uma avalanche de terra destruiu o imóvel, na comunidade Espírito Santo, no bairro Quitandinha, em Petrópolis, na região serrana do Rio, no fim da noite de anteontem.

RIO, O Estado de S.Paulo

19 Março 2013 | 02h02

Até ontem só duas pessoas que estavam na festa haviam sido resgatadas: uma menina de aproximadamente 15 anos, que estava morta, e Vinícius, que conseguiu sobreviver e está hospitalizado. Segundo vizinhos, a casa era de madeira e a família tinha se mudado havia pouco tempo, vinda de Minas.

Uma das crianças que estava na festa era Luis Fernando Mendes, de 16 anos. Seu pai, o auxiliar de serviços gerais Jesus dos Reis Neves, de 38 anos, passou o dia de ontem à procura do menino, auxiliando bombeiros nas buscas. "Soube da tragédia quando saí do trabalho, às 7h. Minha ex-mulher, mãe do Luis, disse que ele tinha saído de casa domingo à noite para ir a uma festa e ainda não havia voltado. Entrei em pânico porque sempre que passa a noite fora ele dorme por aqui", contou Jesus.

Além da casa de Vinícius, outros dois imóveis foram destruídos pela lama que deslizou. Num deles morava um casal e seus três filhos. O mais velho, Everton, é militar do Exército. O rapaz só escapou porque saiu para trabalhar pouco antes das 22h.

Moradores da comunidade contaram que foram acordados pelo barulho da avalanche. "Nunca vi nada igual. Depois dessa quero me mudar. Não vale a pena morrer por uma casa", disse o lustrador de móveis Carlos Alberto Xavier, de 45 anos. / M.G.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.