Namorado da mãe que deixou filha em casa confessa agressão

Ele disse em Fernandopólis que agrediu as enteadas; uma delas ficou trancada por 3 dias enquanto mãe viajava

Sandro Villar, O Estado de S.Paulo

15 de agosto de 2008 | 20h21

O caminhoneiro Luiz Fernando, de 28 anos, confessou que agrediu as duas enteadas, G., de 7 anos, e B., 3 anos, filhas de sua namorada Daniele Aline Santana, acusada de abandono de incapaz por ter deixado a menina mais velha trancada por três dias e viajado. Ele admitiu a agressão ao depor na Delegacia da Mulher de Fernandópolis, a cerca de 550 quilômetros de São Paulo onde foi ouvido pela delegada titular Eda Honorato. Com a confissão, o rapaz corre o risco de ser preso nos próximos dias. "Não é descartável que ele também possa ser preso, já que confessou que bateu nas meninas", afirmou nesta sexta-feira, 15, a delegada. "Ele disse que estava desempregado e nervoso", acrescentou. Eda disse que vai indiciar o caminhoneiro e, que dependendo do que for apurado, também solicitará a prisão preventiva à Justiça. A delegada preside o inquérito que investiga o caso e, desde quarta-feira, já ouviu cerca de cinco testemunhas. Pelo menos dez testemunhas serão ouvidas. Não foi a primeira vez que a mãe deixou a filha sozinha em casa. "Em abril deste ano, eu presidi outro inquérito e a indiciei por abandono de incapaz. Daniele viajou e G. ficou só na casa, mas com acesso ao quintal. A menina foi atacada por uma galinha choca que lhe bicou as pernas. Havia feridas nas pernas provocadas pelas bicadas da galinha", disse a delegada, esclarecendo que à época a caçula ficava numa creche municipal. Assim como agora, vizinhos ouviram o choro da garota e chamaram a Polícia Militar. Os policiais levaram a menina à Delegacia da Mulher. "Os policiais encontraram a menina sozinha, me apresentaram a ocorrência e eu abri o inquérito", declarou a delegada. Depois de afirmar que o inquérito ajudou o juiz Evandro Pelarim a decidir pela prisão preventiva da mãe, Eda disse que Daniele chorou ao ser presa. "Em abril, eu a adverti sobre as conseqüências no futuro. Ela reconheceu que eu estava certa. Ela é uma mãe que não tem senso de responsabilidade de ser mãe", completou.

Tudo o que sabemos sobre:
Fenandopólisabandono de incapaz

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.