Nacionalidade de engenheiro vira alvo de investigação

O advogado da família de Gabriella Nishimura, de 14 anos, morta em acidente no Hopi Hari, Ademar Gomes, disse que vai investigar quem é o engenheiro de manutenção do parque que depôs anteontem na Delegacia de Vinhedo.

O Estado de S.Paulo

01 de março de 2012 | 03h06

Em depoimento, o engenheiro, cuja identidade não foi revelada, afirmou que seria "impossível" uma pane no brinquedo La Tour Eiffel. "Quero checar se, de fato, ele tem registro no Brasil, porque tenho informação de que é estrangeiro e não tem registro no Brasil", disse Gomes, ao levantar suspeita sobre o profissional que reforça que tenha ocorrido falha humana no acidente.

O advogado do Hopi Hari, Alberto Toron, disse que o engenheiro é suíço e exerce função no parque, mas quem responde tecnicamente pelo brinquedo é um engenheiro brasileiro. / T.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.