Na volta ao trabalho, um tablet de 'presente'

Após 45 dias de recesso, os 55 vereadores paulistanos ganharam tablets ontem, na volta das sessões plenárias na Câmara Municipal. O gasto do aluguel dos equipamentos, que têm conexão 3G, será de R$ 115.381,20 aos cofres públicos. A presidência da Casa defendeu a aquisição como parte do programa Papel Zero da Casa, que tem como objetivo fazer uma economia de R$ 90 mil por ano com papel.

O Estado de S.Paulo

02 de fevereiro de 2012 | 03h03

"O aparelho também torna o processo legislativo mais transparente. Eu posso interagir com algum morador no meio da sessão, durante a discussão de propostas que podem ser votadas", defendeu Floriano Pesaro, líder do PSDB. Alguns vereadores, constrangidos, evitaram usar os tablets na primeira sessão do ano, com medo de desgaste político. "Eu já tenho o meu. Mas acho importante a aquisição, faz parte da modernização da Casa", disse Milton Leite (DEM).

Vivo e Claro participaram da concorrência feita para a compra de IPads no fim de 2011. A Claro apresentou proposta de R$ 174,82 para o aluguel de cada aparelho e ganhou a disputa. Os vereadores poderão alugar até 102 aparelhos pelo período de 24 meses.

Denúncia. No dia 15 de dezembro, a reportagem do Estado mostrou que a Prefeitura alugaria 10 mil tablets por 138,9 milhões, valor que seria suficiente para comprar 53 mil Ipads. Após a denúncia, a concorrência foi cancelada. / D.Z.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.