Na TV, Prefeitura prioriza transporte coletivo

Uma nova campanha publicitária da Prefeitura que começou a ser veiculada nesta semana sublinha a prioridade defendida pela gestão Fernando Haddad (PT) ao transporte coletivo em detrimento do individual. A Prefeitura nega que as inserções tenham sido criadas após as gigantescas manifestações de rua do mês passado.

Caio do Valle, O Estado de S.Paulo

19 de julho de 2013 | 02h07

A veiculação do material começou na terça-feira. No filme feito para a televisão, a narradora diz que "a cidade que a gente quer é aquela que dá preferência ao transporte público".

As imagens mostram o desenho animado de uma avenida vista de cima. Em determinado momento, uma das faixas de rolamento, por onde passavam muitos carros, é substituída por um corredor exclusivo de ônibus. Nesse ponto, o texto informa que já foram criados 70 km de faixas exclusivas à direita neste ano - o número mais recente da Prefeitura é de 83 km.

Depois, a narração diz que neste ano serão 220 km dessas faixas, deixando "o transporte público mais eficiente". Anteontem, Haddad reafirmou sua prioridade: "Como a rua é pública, a rua é do transporte público por excelência".

Em nota, a Secretaria Municipal de Comunicação informou que, neste ano, estão previstas quatro etapas de ações publicitárias vinculadas aos transportes. A primeira foi sobre o cadastro do bilhete único mensal. Em seguida, vem a atual, seguida por inserções sobre novos corredores e o início de operação do bilhete único mensal, prevista para novembro.

Segundo a pasta, a produção do material - que inclui anúncios, banner para internet e cartaz para relógio de rua - custou R$ 510 mil. A veiculação da campanha custará R$ 6,150 milhões. A Prefeitura informou que nenhum recurso para isso saiu da Secretaria Municipal dos Transportes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.