Na Paulista, peças de concreto também estão quebradas

Com a reforma das calçadas da Avenida Paulista, em 2007, a Prefeitura instalou cerca de 200 lixeiras de concreto ao longo da via. Muitas já estão pichadas e com parte da base quebrada. Apesar de mais resistentes, as lixeiras metálicas instaladas dentro da base de concreto acabam entortando por causa da frequência com que são abertas por moradores de rua ou catadores em busca de comida e material reciclável.

, O Estado de S.Paulo

25 de maio de 2010 | 00h00

"As lixeiras são resistentes, mas de tanto que eles (catadores) abrem, acabam quebrando a trava e aí elas não se encaixam mais perfeitamente. E o próprio pessoal que retira o lixo também não toma cuidado", diz a diretora da Associação Paulista Viva, Marli Lemos.

Segundo a Secretaria de Coordenação das Subprefeituras, cerca de 40 unidades foram retiradas da via no ano passado para reparos e manutenção (limpeza e pintura).

Para Regina Monteiro, dificilmente o modelo de lixeira da Avenida Paulista poderia ser instalado em outras vias. "Em São Paulo, 80% das calçadas têm 1,5 metro ou menos. Não tem como colocar mais um elemento do mobiliário urbano que tire o lugar do pedestre."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.