Na internet, jovem mostra curiosidades da cidade

Mostrar curiosidades de São Paulo - para paulistanos que não conhecem a cidade e para turistas. Esta é a missão adotada por Larissa Faria, de 15 anos, desde a metade do ano passado. Ela mantém o canal Andando Por SP na internet, com atualizações todas as quintas.

O Estado de S.Paulo

28 de fevereiro de 2013 | 02h08

A cada edição, a jovem paulistana escolhe um ponto da cidade. E, na companhia de um colega com uma câmera, vai para lá e grava uma reportagem detalhando a história do local e mostrando personagens. Já gravou na Avenida Paulista, no bairro da Liberdade, no Pátio do Colégio, na Rua 25 de Março e no Centro Cultural São Paulo.

Para ir de sua casa até o ponto escolhido, Larissa leva de 1h30 a 2h. Tem de tomar ônibus, trem e metrô, já que mora no Parque São Rafael, na zona leste, e os temas de suas reportagens estão geralmente no centro. "Mas vale a pena, porque eu gosto de explorar a cidade."

O hobby começou a ficar sério com o aumento da audiência. Alguns dos vídeos registram mais de 5 mil espectadores e esse número vem aumentando a cada nova edição. "Não esperava que os vídeos fossem bombar tanto, mas esse sucesso só aumenta minha responsabilidade."

Larissa começou com o projeto por causa de sua vontade de se tornar jornalista. "E também pela paixão que tenho por São Paulo. Desde criança, quando minha irmã (a relações públicas Lidiane, 13 anos mais velha) me levava para passear por outros bairros, eu sempre adorava." Até pouco tempo, tinha um parceiro fixo por trás das câmeras: o jovem Patrick Paes, de 17 anos.

Conheceram-se pela internet, notaram uma afinidade de ideias e começaram o Andando por SP juntos. "Gravávamos sempre às quartas, depois o Patrick editava e colocava no ar no dia seguinte." No início do ano, o garoto saiu do projeto - passou no vestibular para Rádio e TV e achou que não teria mais tempo disponível. "Mas foi importante porque pude praticar bastante o que eu gosto, que é fazer vídeos", conta ele. Neste ano, Larissa conta com ajuda de outros colegas para fazer as filmagens e a edição.

Sua mãe, a aposentada Nilza, já se acostumou com a filha que não para e vive correndo pela cidade. "Sempre fui meio independente, tomava metrô sozinha já com 13 anos. Então ela leva numa boa", diz Larissa. "E, em geral, escolho locais perto de estações de metrô. Aí fica mais fácil para voltar para casa." / E.V.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.