Na inauguração, música e arte para 4 mil

Em tom de despedida, governador Aécio Neves cantou e dançou música de Gonzaguinha

Jozane Faleiro, O Estadao de S.Paulo

22 Março 2010 | 00h00

Quatro mil pessoas estiveram ontem na festa de inauguração do Circuito Cultural Praça da Liberdade. O evento começou à tarde, com apresentações de música, dança, teatro, exposição e intervenções artísticas. Em dois palcos, artistas se revezaram, sendo que a grande atração ficou para o início da noite, com show dos mineiros Milton Nascimento, Fernanda Takai, Rogério Flausino, Marina Machado, Lô Borges, Wagner Tiso e Telo Borges. Chamou a atenção do público o entusiasmo do governador Aécio Neves (PSDB), que quebrou o protocolo, dançando e cantando alto a música O Que É, O Que É, de Gonzaguinha. Ele desceu do coreto e juntou-se a um grupo de jovens do programa de inclusão cultural Valores de Minas. "Hoje, posso quebrar todos os protocolos. Sou quase ex-governador, entrego o cargo na quarta-feira, às 15h. Estou muito emocionado, essa praça, que antes era do poder, agora é do povo", declarou, em tom de despedida.

Em cada ponto da praça havia uma atração. O público pode assistir a um quarteto de sax, ver a exposição de bonecos do Museu Giramundo e assistir a um grupo de grafiteiros. O que mais chamou a atenção dos irmãos Luiz e Tainá, de 10 e 8 anos, foi o espaço da física, no qual universitários da UFMG faziam experiências. "A praça é um local que precisa ser ocupada com atividades culturais. Proporcionar o conhecimento e diversão compatíveis para toda a família é maravilhoso", disse a mãe dos meninos, Mara Catarino.

A literatura foi representada pelo "Varal da Poesia", espaço em que crianças e adultos podiam escrever seus textos e pendurá-los em um grande varal na praça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.