Na hora de discutir tema, exibição online é cortada

Em reunião feita pela presidência da Câmara Municipal com 35 vereadores na Sala Tiradentes, no oitavo andar do Palácio Anchieta, líderes de bancada começaram a discutir ontem à tarde o que fariam diante da recomendação do Ministério Público Estadual para suspender o reajuste de 61% aplicado em seus vencimentos. Antes do início da discussão, porém, os parlamentares decidiram retirar o áudio das câmeras de segurança da sala. Dessa forma, ninguém pôde acompanhar o que ocorria dentro do auditório, um dos previstos para ter desde ontem todas as atividades institucionais abertas ao público, com transmissão pela internet em tempo real.

, O Estado de S.Paulo

16 de fevereiro de 2011 | 00h00

A promessa de colocar os eventos da Câmara na internet foi divulgada pela atual Mesa Diretora à imprensa e em cartazes espalhados pelo prédio do Legislativo. "As atividades institucionais compreendem reuniões em comissões, sessões plenárias, audiências públicas e todo evento autorizado na Casa", explica o cartaz fixado na entrada do plenário dos parlamentares. O programa foi batizado de Auditórios Online e prometia trazer uma transparência inédita para os atos da Casa.

Mas quem ontem tentou ver o que os vereadores discutiam dentro da Sala Tiradentes acessava uma tela preta no site da Câmara. "Que democracia é essa que corta o áudio de uma reunião prometida para ser aberta à internet? Quando a discussão é o aumento salarial dos vereadores o cidadão paulistano não pode ficar sabendo?", perguntou o vereador Adilson Amadeu (PTB), que tem atacado a atual Mesa Diretora.

Procurado, o presidente da Câmara, José Police Neto (PSDB), argumentou que o compromisso divulgado no programa Auditórios Online é para as transmissões de audiências e de sessões plenárias. Police Neto disse que, se for uma demanda da sociedade assistir às reuniões dos líderes de bancada na internet, ele vai submeter o tema à votação em um "colégio de líderes".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.