Na comemoração, fogos de artifício, lágrimas e emoção

Parentes e amigos comemoraram a libertação dos bombeiros, cantando e soltando fogos de artifício nos arredores do quartel de Charitas.

Bruno Boghossian, O Estado de S.Paulo

12 de junho de 2011 | 00h00

Patricia Félix da Silva, de 35 anos, chorou e correu para abraçar o marido, o cabo Marcos Félix. "Nos casamos há 20 dias e finalmente vamos conseguir sair em lua de mel", disse.

O cabo Alfredo da Silva também não conteve as lágrimas depois de deixar o local onde ficou preso uma semana. "É uma emoção muito grande estar aqui fora. Nunca poderia imaginar ficar preso sem ter feito nada. Agora queremos anistia. Mesmo com tudo o que aconteceu, amo minha corporação", declarou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.