Na Bahia, homem aparece no próprio velório

Ao avisar que estava vivo, acharam que era 'trote'

TIAGO DÉCIMO, O Estado de S.Paulo

24 Outubro 2012 | 03h03

O susto para a família foi grande quando, na manhã de anteontem, o lavador de carros Gilberto Araújo Santos, de 41 anos, chegou ao próprio velório, na casa dos pais, em Alagoinhas (BA), a 108 km de Salvador.

Ele havia telefonado mais cedo, avisando que estava vivo, mas os parentes acharam que era trote, tamanha a semelhança dele com o morto.

A confusão começou na noite de sábado, com o assassinato a tiros de um morador de rua, no centro. Avisados, um irmão e uma irmã de Gilberto foram ao Instituto Médico-Legal no domingo e reconheceram o corpo como sendo o do lavador de carros, que não fazia contato com a família havia quatro meses.

Familiares prepararam o velório, que teve início na noite de domingo e seguiu até a manhã de segunda. Gilberto foi avisado do caso por um amigo, que tinha ficado sabendo do velório. Ligou para casa, mas foi xingado por um parente, que achou que era "trote". Sem opção, resolveu voltar para casa, para mostrar que não havia morrido. Segundo os familiares, houve gritaria, comemorações, susto e desmaios.

Semelhança. Segundo o delegado Glauco Suzart, a semelhança entre o morto e o lavador "é impressionante". "Além disso, os dois eram moradores de rua", disse.

Depois do susto, um final feliz: Gilberto decidiu voltar a morar com os pais e ganhou uma festa no almoço de ontem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.