Na Alemanha, cantor faz mix de estilos

Os cabelos longos e cacheados que o tornaram conhecido no começo da carreira, na década de 1990, foram cortados. Com 45 anos, o cantor Edson Cordeiro, atualmente morando em Berlim, na Alemanha, não queria ficar grisalho e raspou a cabeça com máquina zero.

O Estado de S.Paulo

29 Março 2012 | 03h05

A voz de cantor de ópera, no entanto, continua uma potência. No fim de semana passado, em um teatro da capital alemã, o artista dava um show fechado, contratado por uma empresa, quando viu uma intensa movimentação na plateia. Algumas pessoas haviam levantado e saído do local. Quando o show acabou, foi informado de que alarmes tinham sido disparados por causa de seus agudos.

Cordeiro foi para a Alemanha em 2007, depois de ter sido indicado para o Grammy Latino, na categoria música clássica, em 2006, com o disco Contratenor. Na Europa, intercala dois tipos de show. Um com o grupo Klazz Brothers, que rendeu a gravação do disco Klazz Meets the Voice, em 2007, e outro em dupla com o pianista Broder Kuhener.

Assim como fazia no Brasil, continua performático, misturando todos os tipos de estilos e músicas em uma mesma apresentação. Durante os shows, acompanha peças de Mozart, além de cantar músicas de pop, jazz, dance music, Tom Jobim, Michael Jackson e Madonna.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.