Na 1ª semana, 30 são multados por hora por invadir faixa de pedestres

Foram 2.270 autuações só no centro de SP; para aprimorar a fiscalização, CET recomenda a fiscais que ‘na dúvida, não multem’

Renato Machado, O Estado de S. Paulo

15 de agosto de 2011 | 22h34

SÃO PAULO - Um motorista foi multado a cada dois minutos por não respeitar os pedestres na primeira semana de fiscalização mais intensa desse tipo de infração em São Paulo. O balanço da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) aponta que foram feitas 2.270 autuações entre segunda-feira, dia 8, e o meio-dia de sábado, 13. A fiscalização é feita durante 14 horas diárias.

A CET intensificou na semana passada a fiscalização contra infrações que colocam em risco os pedestres na região do centro e da Avenida Paulista. Houve reforço de 154 agentes para essas atividades - nem todos exclusivos para isso -, que atuaram em esquema de rodízio para monitorar 78 cruzamentos.

A aplicação de multas começou em ritmo lento, com cerca de 200 registradas no primeiro dia. Na sexta-feira, no entanto, esse número mais do que duplicou e ficou em torno de 500. Mas a análise da quantidade de multas aplicadas em média por dia e o números de marronzinhos na fiscalização aponta que cada um deles registrou entre três e quatro infrações - o que poderia ser considerado baixo, por causa do grande desrespeito ainda presenciado.

"É preciso levar em conta que nem todos esses agentes estão ali exclusivamente para flagrar essas infrações. Muitos deles estão sendo compartilhados com outras atividades", diz o diretor de Operações da CET, Eduardo Macabelli. Ele também ressalta que alguns cruzamentos são mais movimentados e por isso a quantidade de multas varia de um cruzamento para outro.

Por outro lado, a quantidade de multas aplicadas na semana passada, em apenas uma região, já é o dobro do total registrado em toda a cidade por conta dessas infrações no ano passado (foram 1.009). Nesse ritmo, a CET projeta que sejam registradas até 10 mil por mês, o que colocaria essas infrações na sexta colocação do ranking de multas - atrás apenas de excesso de velocidade, rodízio e registros de estacionamento irregular.

Especialistas em segurança de tráfego também consideram os números altos. "O agente tem de ter certeza ao aplicar as multas e não transformar isso em uma obsessão. Um infrator contumaz vai repetir a infração em outro lugar e ser multado, só se dando conta quando colecionar os 20 pontos (suficientes para perder a carteira nacional de habilitação)", diz o engenheiro de tráfego Sérgio Ejzenberg.

"Na dúvida, não multe". Desde ontem, a CET aumentou para 91 os cruzamentos com marronzinhos - na segunda quinzena de setembro, o projeto será ampliado para toda a cidade. A PM também destinou 36 agentes para reforçar essa atividade.

A companhia afirma ainda que está qualificando cada vez mais seus agentes para realizarem as autuações. Duas recomendações principais foram passadas aos marronzinhos. Uma delas é que uma multa só deve ser aplicada quando for verificada a infração no seu início, meio e fim. Por exemplo, um agente só vai autuar um veículo parado sobre a faixa de pedestres se ele for flagrado colocando os pedestres em risco - pois o motorista pode ter avançado sobre a faixa quando não havia ninguém, mas depois não conseguiu entrar na outra rua, por causa do tráfego, e ficou parado. A outra recomendação é "na dúvida, não multe".

Uma das medidas para aumentar a segurança será recuar a faixa de pedestres em alguns cruzamentos. A CET vai testar um piloto na Avenida Paulista com a Rua Plínio Figueiredo - a faixa será recuada na Plínio para evitar que motoristas parem na faixa para entrar na Paulista.

Veja também:

linkFaltam placas de limite de velocidade em vias locais

linkAtropelador de professora alega fatalidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.