Música cubana e nerds dão a largada na Virada

Evento começou ao som de remanescentes do Buena Vista Social Club, empolgou com rock'n'roll e ainda teve performance de fanáticos por HQs

Lauro Lisboa Garcia, Jotabê Medeiros, Roberto Nascimento e Adriana Del Ré, O Estado de S.Paulo

16 de maio de 2010 | 00h00

Com atraso e a presença do prefeito Gilberto Kassab (DEM), a big band cubana que tem como destaque Barbarito Torres e Ignacio Mazacote, remanescentes do Buena Vista Social Club, iniciou a sexta edição da Virada Cultural às 18h33, na Praça Júlio Prestes. Antes deles, Livia Mattos fez um número de dez minutos tocando acordeom suspensa em uma tirolesa fixada à torre da Estação Júlio Prestes.

Segundo a Polícia Militar, havia 5 mil pessoas no local e, apesar do atraso, o público aguardou pacientemente pelo evento. O show começou devagar, mas cresceu e a plateia vibrou em músicas como Chan Chan.

Depois das 21 horas, o palco foi ocupado por Zélia Duncan. A praça estava lotada e a cantora, conhecida do público, colocou todos para cantar juntos. Com Segundo Sol, Zélia homenageou Cássia Eller, que contou ter conhecido em Brasília. Logo em seguida, ao cantar Catedral, ela provocou comoção generalizada.

Palco do Rock. O primeiro show de rock, na Avenida São João, foi da banda GrandMothers Re-Invented, integrada por ex-integrantes da banda do guitarrista Frank Zappa. Eles deram a largada ao rock"n"roll às 20 horas. Tocaram 15 músicas.

A primeira fila do show era feita de zappamaníacos que aprovaram o guitarrista Miroslav Tadic. "A música de Frank Zappa agrada todo tipo de apreciador da música porque ela contém tudo: rock, funk, blues, reggae", disse o saxofonista, cantor e flautista Napoleon Brock, que lidera o grupo americano.

As tribos. Na Praça Roosevelt, Dimensão Nerd, o encontro de tribos fanáticas por histórias em quadrinhos (HQs) independentes, encenações de batalhas medievais e Harry Potter, foi o maior de todas as Viradas. Na madrugada, a praça foi o ponto de chegada de desfiles temáticos de fãs de Star Wars, Star Trek, e Cosplay, fãs que se vestem como personagens.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.