Museu virou símbolo do ideal republicano

Museu Republicano Convenção de Itu é considerado o mais antigo do interior e teve restauração concluída

Edison Veiga, de O Estado de S.Paulo

15 Novembro 2012 | 02h03

ITU - O sobrado histórico pertencia à tradicional família Almeida Prado na época da Convenção de Itu, e teve vários donos ao longo do tempo, mas permaneceu no imaginário republicano paulista. Tanto que, em 1921, o governo do Estado adquiriu o imóvel, transformando-o dois anos mais tarde em um museu à memória da causa republicana.

Administrado pela Universidade de São Paulo (USP) - é considerado anexo do Museu Paulista, no Ipiranga, zona sul de São Paulo, também gerido pela USP -, o espaço teve de ser fechado em abril de 2007 por problemas estruturais.

Foi reaberto em 2010, mas o processo continuou, com a recuperação dos azulejos - trabalho que pôde ser acompanhado pelos visitantes. "Antes, a última grande restauração havia sido feita nos anos 1980", explicou a historiadora Anicleide Zequini.

Considerado o mais antigo museu histórico do interior, guarda uma preciosa documentação. Estão lá, por exemplo, os arquivos pessoais dos ex-presidentes Prudente de Morais e Washington Luís. A sala que mais impressiona é, sem dúvida, a que procura reproduzir aquela onde houve a famosa convenção. Claro que não se trata da mobília original e tampouco se sabe se a reunião ocorreu exatamente naquela sala. O objetivo de Affonso d'Escragnolle Taunay, idealizador do museu, foi ter ali um memorial republicano.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.