Divulgação
Divulgação

Muro da raia olímpica da USP será substituído por painéis de vidro

A obra terá início em setembro e deve ser concluída na semana do aniversário da capital paulista, dia 25 de janeiro

O Estado de S. Paulo

19 de julho de 2017 | 16h50

Após ter comunicado em maio que implementaria um gradil na raia olímpica da Universidade de São Paulo (USP), o prefeito de São Paulo João Doria (PSDB) anunciou nesta quarta-feira, 19, uma alteração nos planos: o atual muro que divide o terreno universitário e a Marginal dos Pinheiros será substituído por painéis de vidro. A obra terá início em setembro e deve ser concluída na semana do aniversário da capital paulista, dia 25 de janeiro. 

Em maio, a Prefeitura anunciou a retirada do muro que há 21 anos divide a Marginal e a raia olímpica. Após queixas de usuários em relação ao aumento do ruído e de monóxido de carbono na raia, a administração, a universidade e os patrocinadores mudaram o projeto, optando pelos painéis de vidro. 

Segundo Doria, a USP fez estudos técnicos para averiguar poluição ambiental e sonora no caso de construção de gradis. Foram verificados impactos sonoros. “De fato, houve aumento na incidência de ruído”, afirmou o prefeito. Ele disse que o vidro foi uma opção ao gradil, já que manteria o “mesmo efeito integrador” e garantiria o apelo visual da raia olímpica para os condutores da Marginal.

A raia olímpica é um conjunto esportivo voltado à pratica do remo e da canoagem. Com extensão de 2,2 quilômetros, a estrutura envidraçada custará R$ 15 milhões. Os recursos são da iniciativa privada. Todo o trecho será monitorado por câmeras. De acordo com a Prefeitura, o material é cinco vezes mais resistente que um vidro comum.

O processo de implementação dos painéis ocorrerá no período da noite, já que será necessária a interdição de pelo menos uma faixa da Marginal. A Prefeitura estuda ainda a interdição de uma via aos finais de semana, caso haja autorização da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.