Leonardo Soares/AE
Leonardo Soares/AE

Mundial de rúgbi na Nova Zelândia agita pubs de SP

Fãs do esporte vão madrugar, a partir de amanhã, para assistir aos jogos ao vivo em diferentes casas que terão programação especial

Denize Guedes, O Estado de S.Paulo

08 de setembro de 2011 | 00h00

Amanhã, o despertador do empresário João Freitas vai tocar às 5 horas. Mas ele não vai começar o dia mal-humorado: usando a camisa da seleção neozelandesa de rúgbi, vai sair de casa, no Brooklin, zona sul de São Paulo, rumo ao All Black, pub irlandês nos Jardins, para estar às 5h30 na frente de uma das TVs do local. Ao vivo, ele vai assistir à partida de abertura da Copa do Mundo de Rúgbi 2011, entre a anfitriã Nova Zelândia e Tonga.

"Ao menos dez pessoas já confirmaram presença", diz Freitas, de 40 anos, ex-jogador do esporte. "Depois, eu e meu sócio (Alexandre Melo, de 38 anos), que também já jogou, vamos direto para o escritório."

Se depender dos pubs que não se intimidaram com as 15 horas a mais de fuso, não vai faltar lugar para os fãs do rúgbi em São Paulo madrugarem até o fim do mundial, em outubro. Dos 48 jogos, quase metade terá transmissão ao vivo em alguma casa da cidade (veja algumas acima).

"Já tenho vários grupos agendados", conta Cesar De Ranieri, sócio do Kia Ora, pub de inspiração australiana e neozelandesa - potências do esporte no mundo, ao lado de África do Sul, Inglaterra e França. A casa - que pula a abertura, mas já começa a transmitir na madrugada de sábado - preparou ações especiais, como o sorteio de prêmios nos intervalos dos jogos. "A principal partida do fim de semana é Argentina (único país sul-americano classificado) e Inglaterra (às 5h30 de sábado)", afirma.

Popular. Argentina? Sim. Pouca gente sabe, mas o esporte é tão popular por lá que, enquanto você lê esta matéria, há hermanos combinando onde assistir aos jogos e outdoors espalhados pelas cidades do país com astros dos Pumas - como a seleção é chamada. "No último mundial, eles ficaram em terceiro", conta Padilla, do All Black, que é argentino e chegou ao Brasil aos 2 anos. Na mala, trouxe a paixão da família pelo rúgbi. "Eu e meus irmãos fomos jogadores." Hoje, aos 39 anos, ele segue em campo como árbitro do quadro da confederação brasileira do esporte.

Ao lado de Freitas, que vai madrugar logo mais, Padilla está organizando no All Black um bolão do mundial. A torcida vai para a Argentina, mas, no bolão, o palpite é da Nova Zelândia. "Tem de ser realista, né?", brinca. É que os All Blacks, apelido da seleção neozelandesa, jogando em casa, são disparados os favoritos - tipo Brasil na Copa de 2014. O vencedor leva uma réplica da bola oficial do mundial. "Distribuí 245 planilhas do bolão e, até agora (anteontem à tarde), já recebi mais de 70 de volta", diz Freitas.

Charles Miller. O fato é que o rúgbi - também trazido ao Brasil por Charles Miller, o mesmo do futebol - poderá ficar mais popular por aqui. Isso porque a modalidade foi alçada a esporte olímpico, a partir dos Jogos de 2016. "Espero que o interesse continue crescendo", entusiasma-se Almir Rogério de Carvalho, gerente do Republic Pub, na Vila Madalena, zona oeste. O pub também terá transmissões ao vivo e reprises, assim como The Blue Pub, nos Jardins, e The Pub, na Rua Augusta, região central.

O proprietário do O"Malley"s, nos Jardins, Ali Visserman, aposta que o clima será parecido com o da Copa do Mundo (de futebol) de 2002, no Japão e na Coreia do Sul, quando os jogos eram transmitidos de madrugada. "Tem aquele público que fica direto na noite e o que acorda e vem ver o jogo", diz. O O"Malley"s vai completar 25 anos em 25 de outubro - dois dias após a final. "Pode ser uma boa oportunidade de comemoração."

DUAS PERGUNTAS PARA...

1. O mundial de rúgbi na Nova Zelândia é como uma Copa no Brasil?

Totalmente. Esse é o maior evento internacional que já sediamos e todos no país estão apoiando.

2. Vai levantar para assistir?

Aos da seleção, com certeza. Verei em casa com meus filhos, e no (pub) All Black. Espero encontrar brasileiros fãs de rúgbi por lá.

PROGRAME-SE

All Black

Terá ações especiais e entrada gratuita no jogo de abertura; allblack.com.br; tel.: 3088-7990

Kia Ora

Terá ações especiais; kiaora.com.br; tel.: 3846-8300

O"Malley"s

Entrada gratuita para jogos após as 5 horas; omalleysbar.net; tel.: 3086- 0780.

Republic Pub

Transmite jogos das 3h; republicpub.com.br; tel.: 3814-5581

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.