Divulgação
Divulgação

Multa por furto de leão no interior de São Paulo pode chegar a R$ 1 milhão

Segundo o Ibama, homem que diz ser o dono não poderia doar ou transportar o animal

Especial para O Estado

05 Maio 2014 | 22h28

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) estuda multar o suspeito de furtar um leão no interior de São Paulo, Ary Marcos Borges. O valor ainda será definido, mas pode chegar a até R$ 1 milhão e seria em razão de uma série de infrações cometidas por Borges, que já adiantou que, se for multado, irá recorrer.

De acordo com o órgão, como fiel depositário ele deveria manter o animal sob sua responsabilidade o tempo todo, ou seja, não poderia tê-lo doado a um terceiro e nem mesmo transportado a fera pelas estradas do País.

O leão foi entregue a Borges, que mora em Maringá (PR), há mais de cinco anos após o fechamento de um circo. Sem estrutura para manter a fera, ele diz ter feito a doação provisória a uma instituição de Monte Azul Paulista (SP). Depois, alega que, como o homem que recebeu o bicho não queria devolvê-lo, ele resolveu pegar de volta por conta própria na semana passada.

O caso foi denunciado à polícia como furto, mas segue sendo investigado. O leão continua no Paraná, mas agora tendo como fiel depositário um funcionário de Borges.

Já o médico Oswaldo Garcia Júnior, que em 2009 recebeu o leão em sua instituição no interior paulista, diz esperar que ele retorne. Porém, de acordo com o Ibama, o documento de doação do bicho não teria valor legal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.