Nilton Fukuda/AE
Nilton Fukuda/AE

Multa por desrespeito a pedestre deve ser estendida para toda SP em um mês

Fiscalização começou hoje nas regiões do centro e Paulista; valor da infração chega a R$ 191,53

Marcela Gonsalves e Renato Machado, estadão.com.br

08 de agosto de 2011 | 17h45

SÃO PAULO - O secretário dos Transportes, Marcelo Branco Cardinale, afirmou nesta segunda-feira, 8, que a aplicação de multas para os motoristas que desrespeitam pedestres deve ser estendida para toda a cidade em cerca de um mês.

 

Hoje, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) começou a intensificar a fiscalização, mas apenas na região central e Avenida Paulista, as primeiras a receber os orientadores de travessia do Programa de Proteção ao Pedestre, lançado em 11 de maio.

 

Até o início da noite, o Corpo de Bombeiros atendeu 20 ocorrências de atropelamento na capital. A ação foca três enquadramentos do Código de Trânsito Brasileiro: deixar de dar preferência aos pedestres sobre a faixa de segurança, não dar preferência quando as pessoas a pé não terminaram de atravessar uma rua (mesmo que o semáforo para carros já esteja aberto) e não dar a preferência aos pedestres quando o motorista vira em uma rua transversal.

 

Os dois primeiros casos são infrações gravíssimas com multa de R$ 191,53 e perda de 7 pontos na Carteira Nacional de Habilitação. A última é infração grave, com multa de R$ 127,69 e rende 5 pontos na CNH.

 

A companhia tem hoje 154 agentes fiscalizando o trânsito, divididos em três turnos ao longo do dia. Alguns deles, além de autuar os condutores que desrespeitarem a faixa de travessia, estão também em outras atividades, como fiscalização de zona azul.

 

 

Texto atualizado às 19h20.

Tudo o que sabemos sobre:
atropelamentostrânsito

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.