Multa de trânsito chegará mais rápido

Marronzinhos paulistanos começam hoje a aposentar talões e usar computadores de mão; tecnologia também deve reduzir os erros

RODRIGO BURGARELLI, O Estado de S.Paulo

08 de novembro de 2012 | 02h04

Os temidos talões de multa dos marronzinhos que fiscalizam o trânsito de São Paulo estão com os dias contados. A partir de hoje, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) vai começar a testar nas ruas seu novo sistema de multas online, que serão registradas pelos agentes por meio de um computador de mão. A promessa é de que o novo modelo acelere o trâmite burocrático das autuações e diminua a ocorrência de erros na tramitação das multas.

Os primeiros testes serão iniciados a partir das 10h de hoje, quando os 20 primeiros marronzinhos já começarão a anotar infrações como furar o sinal vermelho ou ignorar placas de Pare nos computadores portáteis - eles já possuem o equipamento desde meados de agosto, onde já registravam ocorrências de trânsito como acidentes ou bloqueios de vias. A ideia é que, até o fim do ano, 200 agentes de fiscalização já estejam treinados e com o equipamento pronto para registrar as autuações.

Depois disso, uma nova rodada de treinamento será feita, até que todos os 2.100 fiscais da CET já estejam habilitados a usar o novo sistema. Batizado de Auto de Infração de Trânsito Eletrônico (e-AIT), o equipamento de multa eletrônica terá também uma pequena impressora portátil, que será necessária para imprimir autuações que devem ser afixadas no veículo infrator, como estacionamento irregular, por exemplo.

"Hoje, tudo é feito no auto de papel. Com a mudança, queremos que o tempo de processamento dessas multas diminua consideravelmente, o que vai beneficiar tanto a CET quanto os motoristas, que terão acesso mais rápido às autuações", afirma Rosa Maria Mendes Marques Jodas, gestora de trânsito da Assessoria de Fiscalização da companhia.

Trabalho duro. Atualmente, existe uma equipe cujo trabalho diário é escanear e digitar todos os dados de todos os talões de multas dos marronzinhos - só em 2011, foram 9,5 milhões de autuações na capital paulista, um crescimento de 36% em relação ao ano anterior. "Durante esse processo, acontece de haver erros de digitação ou problema na leitura da caligrafia dos agentes, o que abre brecha para que os infratores peçam o cancelamento da multa", explica Rosa.

Com o novo sistema, segundo a companhia, esse tipo de risco será eliminado e haverá mais precisão na emissão das autuações. Além disso, a expectativa da CET é de que o tempo de processamento das multas caia de 15 dias, aproximadamente, para cerca de 2 ou 3 dias. "Hoje todos aproveitamos as novas tecnologias e a CET está acompanhando essa tendência", diz a gestora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.