Mulher sofre sequestro relâmpago em Perdizes e é liberada em Vinhedo

Perseguição policial terminou na altura do km 71 da Rodovia dos Bandeirantes; quatro suspeitos foram presos pela Polícia Militar

Felipe Resk, O Estado de S.Paulo

20 Setembro 2016 | 12h38

SÃO PAULO - Um sequestro relâmpago na região de Perdizes, zona oeste de São Paulo, terminou em perseguição policial até a Rodovia dos Bandeirantes, em Vinhedo, na noite desta segunda-feira, 19. A vítima, a fonoaudióloga Flávia Roberta Moraes Corsi de Donato, de 43 anos, ficou cerca de quatro horas em poder dos criminosos e foi liberada sem ferimentos. Três homens e uma mulher foram presos pela Polícia Militar, por crimes de extorsão e associação criminosa.

Por volta das 21h, Flávia saiu de uma reunião na escola dos filhos e foi até a Rua Tavares Bastos, em Perdizes, onde havia estacionado o carro, uma caminhonete Chevrolet S10. Enquanto falava com o marido no celular, destravou o alarme e abriu a porta, momento em que foi surpreendida por dois criminosos: Fábio Júnior da Silva, de 31 anos, e Cleriston Araújo Teixeira, de 22.

Aos policiais, a fonoaudióloga disse que “levou um susto muito grande e acabou gritando”. Um dos assaltantes tomou o celular da mão dela e o desligou. Armado, Teixeira ordenou que ela entrasse no veículo, e roubou dois anéis, a aliança e uma corrente da vítima. Depois, os policiais descobririam que a arma era de brinquedo. Silva assumiu a direção do veículo. Já a fonoaudióloga ficou no banco de passageiro, olhando para o chão. Ela também foi obrigada a entregar o cartão do banco e a senha.

O marido da vítima chegou a ligar mais duas vezes, mas os bandidos não atenderam o celular. Em um semáforo da Avenida Sumaré, eles repassaram o cartão bancário para Carolina Souza Almeida, de 19 anos, e Glaubert Santos da Silva, de 25. A dupla, então, foi ao Shopping Bourbon, também em Perdizes, e se passou por um casal para fazer compras e sacar dinheiro, enquanto Flávia era obrigada a dar voltas de carro com os outros dois bandidos.

No shopping, o casal comprou quatro pares de tênis, por R$ 1,3 mil cada, e sacou R$ 1 mil da conta da vítima. Após receber alertas de transações bancárias em três lojas diferentes, o marido dela  acionou a Polícia Militar. Os agentes foram até o local e levantaram as características de Carolina e Silva nesses estabelecimentos. 

Os policiais flagraram o casal carregando sacolas. Ao perceber a movimentação, os suspeitos se separaram e saíram correndo. Carolina foi detida em um banheiro feminino. Já Silva escorregou, caiu e acabou preso. Os dois teriam confessado o crime. Aos PMs, a mulher disse que jogou o cartão do banco no lixo, mas os agentes não o encontraram. Silva era procurado da Justiça por roubo.

Perseguição. Os outros dois criminosos seguiram com Flávia pela Marginal do Tietê e acessaram a Rodovia dos Bandeirantes, sentido interior, em alta velocidade. Eles foram flagrados por um radar do Detecta e começaram a ser perseguidos por uma viatura da PM. Cercados, os bandidos desistiram da fuga no km 71 da Rodovia, próximo ao parque Hopi Hari, e não resistiram à prisão.

Na delegacia, os três homens permaneceram em silêncio. Já Carolina teria afirmado que não conhecia os outros sequestradores, mas admitiu participar do crime. Ela disse que havia sido indicada por um amigo e que precisava do dinheiro porque tem uma filha de 2 anos. Também afirmou que está arrependida. Os objetos roubados foram devolvidos à vítima.

Mais conteúdo sobre:
Polícia MilitarSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.