Mulher que forjou gravidez em Taubaté indenizará dona do ultrassom

Audiência de conciliação ocorreu na segunda-feira, 21, em Blumenau (SC)

estadão.com.br,

23 de maio de 2012 | 02h55

SÃO PAULO - A pedagoga Maria Verônica Aparecida César Santos, de 25 anos, moradora de Taubaté(SP), no Vale do Paraíba, acusada de simular até janeiro deste ano uma gravidez de quadrigêmeos, terá que pagar indenização de R$ 4 mil por ter divulgado, como sendo dela, um ultrassom, retirado da internet, cujas imagens são do filho da administradora de empresas Ana Paula Mückenberger Alves, 29, catarinense de Blumenau, autora da ação, por danos morais, impetrada na justiça em março.

 

A audiência de conciliação ocorreu na segunda-feira, 21, em Blumenau. O pagamento da indenização ocorrerá em cinco parcelas, sendo que a primeira está prevista para junho. A farsa foi revelada no dia 20 de janeiro quando Maria Verônica foi pressionada pelo marido, pois teria passado mal e negou-se a ir ao médico.

 

A pedagoga inventou tudo, segundo ela, para se aproximar da família, que seria contrária à união dela com o metalúrgico Kleber Eduardo Melo Vieira, de 37 anos. Alegando vergonha das marcas de estrias, Verônica impedia que o metalúrgico visse a barriga dela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.