Jackeline Mota
Jackeline Mota

Mulher publica foto com nariz quebrado e acusa ex-marido de agressão

Jackeline, de Araçariguama, disse que agressão aconteceu após ela 'arrumar um namorado'. 'Mulheres, não se calem', disse no post de rede social

Ana Paula Niederauer, O Estado de S.Paulo

10 Julho 2018 | 22h13

SÃO PAULO -  A secretária Jackeline Mota, de 32 anos, mãe de duas crianças, postou em seu perfil no Facebook uma foto em que aparece com o rosto ensanguentado, dizendo que teve o nariz quebrado pelo ex-marido, Carlos Henrique Evangelista de Oliveira. "Cansei de me calar. Estou aqui na UBS pra quem quiser ver. Meu ex-marido acaba de quebrar meu nariz, porque eu arrumei um namorado", disse na publicação.

+ Metade dos casos de estupro é cometida contra crianças de até 13 anos

Em entrevista ao Estado, Jaqueline contou que os filhos teriam presenciado a agressão. Ela disse que ficou 11 anos casada e que, durante o relacionamento, foi agredida diversas vezes. Em outro post, Jackeline conta que tentou se separar. "Por várias vezes, tentei me separar, mas aí a perseguição era tanta, e não atingia só a mim, era meu trabalho, minha família, terceiros passando por situações constrangedoras, por um problema que era só meu, então diante das perseguições eu acabava voltando, até que depois de 11 anos encontrei forças em Deus pra criar coragem e sair daquela situação", disse na publicação.

Nesta mesma publicação, a moradora de Araçariguama escreveu um texto para mulheres que estão relacionamentos abusivos: “Mulheres, não se calem. Não tenham medo. Se o medo for da morte, entendam que vocês que vivem uma situação destas dentro de casa estão com a alma morta em um corpo que apenas existe, não vive.” Ela também registrou um boletim de ocorrência sobre a agressão e, à tarde, aguardava vaga para fazer uma cirurgia no Centro Hospitalar de Sorocaba (CHS).

A reportagem tentou contato com o ex-marido da vítima, mas não houve retorno aos telefonemas realizados. 

Mais conteúdo sobre:
agressão física

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.